Uma perseguição policial a um motociclista terminou com uma menina de 11 anos e uma adolescente de 16 baleadas na Vila Mariquinhas, na região Norte de Belo Horizonte. O militar suspeito de ser o autor do disparo foi preso em flagrante e teve a arma recolhida. O caso foi no último sábado (5) e é investigado pela Polícia Judiciária Militar como crime de lesão corporal culposa.

"O policial envolvido na ocorrência foi levado à sede do 13º Batalhão, onde foi lavrado o Auto de Prisão em Flagrante do militar, sendo que, a autoridade judiciária militar ratificou o flagrante do militar e encaminhou os autos à Justiça Militar", disse a PM em nota.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, o disparo aconteceu após inúmeras tentativas de abordagem feitas a um motociclista que se recusou a atender a ordem de parada dada pelos policiais. No boletim de ocorrência consta que o homem trafegava pelo bairro Juliana, na contramão e com o capacete levantado. O motociclista teria desobedecido ao comando da PM e fugiu em alta velocidade.

O suspeito seguiu para a zona Norte da cidade e, já na Vila Mariquinhas, ele teria passado em cima de bueiro aberto, se desequilibrado e caído da moto e continuado a fuga a pé. O militar disse que, na correria, o suspeito caiu novamente e colocou a mão na cintura, mostrando que portava uma arma de fogo. Foi neste momento que ele teria pedido para o suspeito largar a arma, mas como não foi ouvido, atirou. O motociclista não foi alvejado e fugiu.

"Para se defender da latente ameaça, o Policial Militar efetuou um único disparo buscando cessar a agressão do suspeito e proteção da vida sua e de terceiros", justificou a polícia no comunicado.

Porém, o disparo atingiu a adolescente de raspão na perna e a criança na coxa. As vítimas foram atendidas no hospital Risoleta Neves e liberadas. Elas estavam a caminho de uma sorveteria.

O motociclista ainda não foi localizado.