Justiça nega pedido de habeas corpus para jovem suspeito de agredir colega em escola de BH

Rosiane Cunha
rmcunha@hojeemdia.com.br
23/11/2018 às 19:36.
Atualizado em 28/10/2021 às 01:59
 (Álbum de Família)

(Álbum de Família)

A defesa do estudante de 18 anos, que está preso no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional Gameleira, na região Oeste de Belo Horizonte, suspeito de agredir o colega Luiz Felipe Siqueira de Sousa, de 17 anos, que morreu na última terça-feira (20), entrou com pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) nessa quinta-feira (22).

Segundo o TJMG, o desembargador negou liminarmente, ou seja, de forma provisória, o pedido que garantiria a soltura, mas resta ainda a análise do mérito.

Luiz Felipe Siqueira, de 17 anos, morreu após uma semana internado no Hospital João XXIII. No dia 14, os jovens jogavam futebol durante o recreio no Instituto de Educação, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, quando teria ocorrido um desentendimento. A vítima foi agredida com socos e pontapés, tentou fugir, mas foi perseguida. 

Imagens do circuito interno da escola registraram a violência:

O defensor público responsável pelo caso informou que vai pedir que ele seja julgado por lesão corporal. "Ele não teve a intenção de matar o colega. Houve, sim, a agressão, mas ela não foi iniciada com esse intuito”, justificou William Vaz.

A Secretaria de Estado da Educação (SEE) determinou a instauração de uma sindicância para apurar o caso.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por