Uma audiência de instrução, realizada nesta segunda-feira (5), na 2ª Vara Criminal de Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ouviu testemunhas no processo em que a ex-prefeita da cidade, Roseli Ferreira Pimentel, foi denunciada pela morte de um jornalista.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o caso corre em segredo de Justiça e nenhuma informação pode ser divulgada. O processo está em fase de instrução e a ex-prefeita ainda não foi interrogada. 

Roseli Ferreira Pimentel (PSB) está em prisão domiciliar desde o dia 7 de outubro de 2017 e renunciou ao cargo em maio de 2018. Ela foi presa por suspeita de participação na morte de um jornalista, além de ser alvo de uma operação que apura suspeita de fraude na Secretaria de Saúde da cidade. 

O dono do jornal "O Grito", Maurício Campos Rosa, de 64 anos, morreu baleado em agosto de 2016. De acordo com a Polícia Militar, ele foi atingido por cinco tiros no bairro Frimisa, em Santa Luzia.

Leia mais:
Após renúncia de prefeita, TRE marca novas eleições em Santa Luzia para o dia 24 de junho
TRE marca novas eleições em Santa Luzia após cassação de prefeita
Polícia investiga suposto atentado contra prefeita afastada de Santa Luzia
Prefeita de Santa Luzia vai cumprir prisão domiciliar com uso de tornozeleira