Revitalização de praças, criação de novos corredores de ônibus e entrega de novas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) podem sair do papel. O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), assinou, nessa sexta-feira (22), dois contratos de aproximadamente R$ 583 milhões, que preveem melhorias em obras de mobilidade urbana e saúde na capital mineira. Os acordos foram firmados em Brasília e envolveram representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Corporação Andina de Fomento (CAF).

De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), com a CAF foi feito um empréstimo de U$$ 82,5 milhões para obras como interseções ao longo da avenida Cristiano Machado, criação de corredores de ônibus em Venda Nova, revitalização das praças Rio Branco (praça da Rodoviária) e Israel Pinheiro, a Praça do Papa. 

Duas UPAS, Norte I e Nordeste II, devem ser concluídas, e a Unidade de Referência Secundária Padre Eustáquio, vinculada à Maternidade do Hospital Odilon Behrens e do seu Centro Obstétrico, também será reformada.

Já com o BID, informou a PBH, o empréstimo de U$$ 56 milhões foi destinado ao Programa de Modernização e Melhoria da Qualidade das Redes de Atenção em Saúde. A expectativa é a de reconstruir e comprar equipamentos para Unidades Básicas de Saúde e reformar UPAs.

Acerto

Os contratos foram possíveis após aprovação pelo Senado Federal, em 25 de setembro deste ano. Na oportunidade, foram autorizados os projetos de resolução e os valores foram convertidos para reais. O valor do dólar cotado foi de R$ 4,2131. 

Participaram da assinatura, além de Kalil, o subsecretário do Tesouro Municipal, Leonardo Colombini, o subprocurador-geral fiscal da Procuradoria-Geral do Município, Felipe Mantuano, e outros representantes.