A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) dará o pontapé inicial para viabilizar, em parceria com a UFMG, estudos da vacina contra o novo coronavírus. O termo de patrocínio será assinado pelo chefe do Executivo, Alexandre Kalil, nesta quinta-feira (27).

A administração municipal vai repassar cerca de R$ 30 milhões para que a univesidade consiga avançar da fase pré-clínica para as etapas 1 e 2 dos testesdo imunizante Spintec, desenvolvido no CTVacinas contra a Covid-19. 

Segundo a UFMG, a Spintec é uma das três vacinas em estágio mais avançado no Brasil e a plataforma tecnológica usada no desenvolvimento do imunizante consiste na combinação de diferentes proteínas para formar uma única, artificial. Esse composto, chamado de "quimera", é injetado no organismo em duas doses e induz à resposta imune. Por não usar exclusivamente a proteína S, na qual se dá a maioria das mutações, as chances de sucesso desse composto químico no combate às novas variantes são bastante elevadas.

"Quando inoculado em camundongos juntamente com um adjuvante vacinal já testado em humanos, o composto foi capaz de induzir resposta adequada nos animais imunizados. Em camundongos geneticamente modificados para servirem como modelo para a Covid-19, a formulação induziu 100% de proteção. No momento, estão sendo realizados ensaios de tolerabilidade e imunogenicidade em primatas não humanos, destinados, respectivamente, a detectar possíveis efeitos colaterais e a confirmar a geração de anticorpos nas células de defesa", detalhou a UFMG.

Ainda de acordo com a instituição, os recursos da PBH vão viabilizar os estudos de fase clínica 1 e 2 em adultos saudáveis sem exposição prévia à Covid-19, etapas necessárias para os ensaios da etapa 3 e aprovação pela  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

As fases 1 e 2 deverão ser realizadas ainda este ano e a fase 3, no início de 2022. Caso os testes confirmem a segurança e a eficácia da vacina, o imunizante deverá chegar ao mercado ainda em 2022.

Leia Mais:
Com 46 óbitos nas últimas 24 horas, BH passa de 5 mil mortes por Covid-19
Brasil tem 2.398 mortes por Covid nas últimas 24 horas; óbitos passam de 454 mil
Estudo da Fiocruz aponta anticorpos em 99,6% dos vacinados no Hospital da Baleia