O prefeito Alexandre Kalil (PSD) determinou nesta sexta-feira (5) o fechamento do comércio considerado não essencial em Belo Horizonte como forma de tentar conter o avanço da Covid-19 na cidade. "São números absolutamente assustadores. Voltamos à estaca zero", afirmou o chefe do Executivo municipal.

A medida foi tomada após reunião com secretários municipais e membros do Comitê de Enfrentamento à Pandemia da capital mineira. O decreto começa a valer neste sábado (6) às 14h. "Peço desculpas ao comércio, ao trabalhador, mas temos números diários e, por isso, não vou esperar segunda-feira", disse o prefeito.

Este será o quarto fechamento da cidade para barrar o aumento de casos do novo coronavírus. O último, em janeiro deste ano, durou três semanas antes de voltar com a flexibilização.

Voltou atrás

Na quarta-feira (3), também em coletiva na PBH, o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, afirmou que a cidade não sofreria mudanças no funcionamento. A única modificação seria no cronograma de volta às aulas presenciais das crianças de até 5 anos, que estava prevista para a próxima segunda-feira (8). Porém, com os números crescendo, a decisão precisou ser revista.

Números da Covid

Segundo o boletim epidemiológico da prefeitura desta sexta, a taxa de ocupação de leitos de UTI destinados a pacientes com Covid-19 em BH disparou, saindo de 74,4% para 81%.

O índice de utilização das enfermeiras também cresceu nas últimas 24 horas, saltando de 60,8% para 61,9%.

Já o número médio de transmissão está em leve queda. Hoje, a capital atingiu 1,16, ou seja, 100 contaminados transmitem a doença para outras 116 pessoas, em tese.

Até o momento, 116.419 belo-horizontinos já testaram positivo para a doença. Destes, 2.815 morreram por complicações do vírus.