Em publicação no twitter na manhã desta segunda-feira (17), o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), prometeu “dar o troco” nas empresas responsáveis pelos ônibus do transporte público de passageiros da capital. 

A publicação ocorre após o líder do executivo municipal anunciar, na última quinta-feira (13), que “abriria a caixa preta da BHTrans”, principal promessa feita enquanto candidato ao cargo de prefeito. Nesta manhã, Kalil escreveu: “Se as empresas de ônibus fazem o que querem, vão receber o troco. Belo Horizonte tem governo”. 

Na semana passada, Kalil afirmou que a auditoria dos contratos entre as empresas e a BHTrans está finalizada e que, até o fim desta semana, uma entrevista coletiva vai informar os resultados obtidos. 

Outro fator que pode ter motivado o post de Kalil é a ausência dos cobradores nos ônibus do transporte público em BH. Na edição impressa desta segunda-feira (17), o Hoje em Dia denunciou que, mesmo proibidos por lei, os coletivos da capital trafegam sem o trocador. A ausência do agente do bordo é permitida, integralmente, apenas aos ônibus do sistema Move. Aos demais veículos, o trocador só pode se ausentar aos domingos, feriados e horários noturnos, conforme prevê a legislação municipal 10.526/2012.

Como consequência da saída dos cobradores, motoristas acumulam as funções de cobrar passagem, operar elevador para deficientes, olhar as portas de desembarque e evitar os “pulões”. Por outro lado, passageiros denunciaram atrasos de até 25 minutos nas viagens com a ausência do agente de bordo. 

Procurado para comentar a publicação do prefeito, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra) não se manifestou. 

Leia mais: 
Ausência de cobrador atrasa deslocamento em BH, dizem motoristas e passageiros
Depredações em abrigos de ônibus da capital prejudicam passageiros
Kalil promete abrir 'caixa-preta da BHTrans' para a população na próxima semana
Ministério Público determina fiscalização de ônibus sem trocadores em BH