Kalil reitera que BH não terá aumento nas passagens de ônibus até o fim do ano

Raquel Gontijo e Bernardo Estillac
portal@hojeeemdia.com.br
09/12/2021 às 17:40.
Atualizado em 14/12/2021 às 00:36
 (Foto: Maurício Vieira/ Hoje em Dia)

(Foto: Maurício Vieira/ Hoje em Dia)

O valor da passagem de ônibus em Belo Horizonte não será alterado neste fim de ano. O prefeito Alexandre Kalil (PSD) voltou a afirmar que não haverá reajuste tarifário na capital após reunião com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Belo Horizonte (Setra-BH) na manhã desta quinta-feira (9).

Na pauta da reunião estavam possíveis opções de custeio do serviço de transporte por parte do município para as empresas de ônibus. De acordo com o Setra-BH, medidas nesse sentido são necessárias para viabilizar o funcionamento do transporte coletivo na cidade.

Kalil diz que a Prefeitura precisa fazer uma engenharia financeira para determinar como será feita a realocação de verbas do orçamento para as empresas de ônibus e que levará a discussão ao Legislativo da cidade.

"Espero que (na Câmara Municipal) todos pensem na população de BH, pensem em uma proposta justa, uma proposta que não acarrete um custo muito grande para a Prefeitura de BH, pois ela não tem recurso, ela tem que desviar dinheiro de uma coisa pra outra e eu não quero fazer isso”, afirma o prefeito.

Na reunião, o presidente do Setra-BH, Raul Lycurgo Leite, falou sobre a necessidade do município custear os valores gastos com gratuidades oferecidas a idosos, pessoas com deficiência e carteiros, por exemplo. 

Para Raul, a Prefeitura precisa arcar com esses valores para que a conta não pese no bolso do usuário do transporte público. "Quando se onera o serviço público, quem está pagando é o pobre que está usando. Porque tudo está na tarifa”, diz.

Contexto Nacional
Para Alexandre Kalil, o problema da administração do transporte público urbano é nacional, o que recebeu o apoio do Setra-BH.

O sindicato diz estar de acordo com o conteúdo das reivindicações da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que está se reunindo em Brasília nesta semana para reivindicar apoio financeiro do Governo Federal aos municípios para a gestão dos transportes.

A FNP engloba prefeitos em exercício de 412 municípios com mais de 80 mil habitantes e enviou representantes a Brasília na última quarta-feira (8) para solicitar repasses de verba às cidades. A questão dos transportes esteve entre as principais pautas.

“O sistema de transporte está à beira do abismo. Sem catastrofismo, se não houver um olhar sensível em relação a essa pauta, vamos viver, já em março, um cenário ainda pior que o de 2013”, diz o prefeito de Aracaju (SE), Edvaldo Nogueira, atual presidente da FNP.

Os prefeitos se encontraram com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP- AL) e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). Até o momento, nenhuma medida concreta sobre a situação dos transportes foi anunciada.

A Prefeitura de Belo Horizonte enviou representantes às reuniões na capital federal. A reportagem solicitou um balanço da participação do município nas tratativas, mas ainda não recebeu resposta.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por