Ao menos 16 integrantes de uma organização criminosa que seria responsável por diversos crimes no Triângulo Mineiro, incluindo explosões de caixas eletrônicos, foram presos, nesta quinta-feira (11), na operação "La Casa de Papel". 

A ação, deflagrada por Ministério Público e Polícia Militar, cumpre 20 mandados de prisão preventiva e outros 15 de busca e apreensão. Todas as ordens judiciais foram expedidas pela 3ª Vara Criminal de Uberlândia.

Segundo a PM, alguns dos suspeitos foram presos em flagrante. Outros alvos da operação já estavam reclusos no Presídio Jacy de Assis, em Uberlândia. O MP informou que, além de explosões de caixas eletrônicos, o bando teria envolvimento no comércio ilegal de armas de fogo, de veículos roubados e com tráfico de drogas.

Até o momento, foi identificado que a quadrilha foi responsável pela explosão de caixas eletrônicos instalados em um posto de combustível de Unaí, em fevereiro de 2018. Os suspeitos também agiram em Santa Vitória, em abril deste ano, quando tentaram explodir equipamentos eletrônicos bancários. 

A ação, contudo, foi repreendida pela PM, que na ocasião apreendeu um fuzil, coletes a prova de bala e explosivos. Segundo o coronel Cláudio Vitor, um dos suspeitos morreu na tentativa de assalto. 

Ele lembrou que em outra ocorrência, em Uberaba, os criminosos explodiram artefato em Uberlândia para evitar que a PM enviasse reforço para a cidade vizinha. No caminho entre os dois municípios, homens com fuzis também aguardavam a passagem dos militares. "Eles estão com ações sofisticadas e muito planejadas, mas temos capacidade de resposta e qualidade na resposta", falou o coronel.

Investigação

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) começou a investigar os criminosos em fevereiro de 2018. No decorrer da apuração, sete prisões em flagrante foram realizadas por porte ilegal de arma de uso restrito, posse de explosivos e tráfico de drogas. 

Também foram apreendidos dois fuzis, uma escopeta calibre 12, uma pistola semiautomática 9 mm com “kit rajada”, explosivos, 200 projéteis de fuzil, maconha e crack, além do dinheiro roubado em Unaí.

Dois promotores de Justiça e 70 policiais militares participam da operação "La Casa de Papel" nesta quinta-feira.