O prefeito Marcio Lacerda apresentou na tarde desta terça-feira (26), no Ministério das Cidades, em Brasília, um projeto que prevê a construção de cerca de 14 mil habilitações populares. As casas seriam erguidas na região do Isidoro, região Norte de Belo Horizonte, e inclusas no programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. Além das moradias, o projeto prevê ainda a implantação de escolas, centros de saúde e outos equipamentos públicos na região.

A entrega do documento contou a participação da Secretária Nacional de Habitação, Inês Magalhães, e representantes da Caixa Econômica Federal, Departamento Nacional de Infraesturura e Transporte (Dnit) e Copasa. “Estou bastante otimista quanto à aprovação do projeto, pois estamos promovendo a ocupação daquela região da cidade de forma planejada e ordenada. Nossa intenção não é apenas construir moradia, mas proporcionar uma infraestrutura digna onde as pessoas possam morar com qualidade de vida”, disse o prefeito.
 
Segundo a PBH, oito mil moradias populares que estão em construção na cidade estão sendo viabilizadas pela prefeitura.  As habitações estão sendo construídas por meio dos programas Vila Viva e Minha Casa, Minha Vida. Um chamamento público para a construção de outras 6 mil moradias no bairro Capitão Eduardo está em andamento. O resultado deve ser divulgado em dezembro.
 
Entenda
 
A urbanização do Isidoro, na divisa com Santa Luzia, foi aprovada e sancionada em julho de 2010. Está prevista a construção de mais de 67 mil unidades habitacionais, centros de saúde, escolas e parques, um deles com 2 milhões de metros quadrados, o segundo maior da capital. A região é marcada por ocupações irregulares e degradação ambiental.
 
Chamado de Estrada do Sanatório, o principal acesso aos bairros que circundam a mata do Isidoro está tomado de bota-foras irregulares. Sobra de material de construção, restos de pneus, carcaças de aparelhos eletrônicos e lixo orgânico causam mau cheiro, atraindo urubus e outros bichos. Parte da sujeira vai parar no leito do ribeirão Isidoro, poluindo o curso d´água.