Para conter o avanço da Covid-19, a Prefeitura de Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, publicou, nessa quinta-feira (14), um decreto que proíbe o funcionamento de casas de shows, boates e qualquer estabelecimento que tenha apresentação de música ao vivo, em telão ou DJ’s por 30 dias. 

No entanto, a medida, publicada no Diário Oficial do Município, permite que o comércio não essencial continue aberto, desde que siga os protocolos sanitários estipulados pela administração da cidade.

Os bares e restaurantes poderão atender até as 23h, sendo que as portas deverão estar fechadas à meia noite. Os clientes só poderão permanecer nos locais sentados, respeitando a lotação máxima determinada pelo município. 

As regras são válidas para pessoas físicas e jurídicas e o descumprimento acarretará em multas no ato de fiscalização dos órgão públicos. O fiscal da prefeitura poderá acionar a Polícia Militar (PM) e registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.).

A mudança foi tomada após o município receber diversas denúncias de estabelecimentos comerciais que não estavam cumprindo as normas estabelecidas nos decretos anteriores. A nova resolução já passou a valer nesta sexta-feira (15). 

De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES) desta sexta, Lagoa Santa já registrou 1.789 casos do novo coronavírus. Ao todo, 25 pessoas morreram por complicações da doença na cidade. 

Leia mais:

Minas vai disponibilizar leitos de UTI para crianças do Amazonas, diz Zema
Vacinação contra Covid em Minas deve começar semana que vem, mas prefeitos alertam sobre desafios
Número de casos de Covid-19 confirmados em 24h é maior que a população de 456 municípios de Minas