Já chega a 15 o número de municípios mineiros atingidos pela lama de rejeitos da barragem de Córrego do Feijão, da Vale, que se rompeu em janeiro deste ano em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) nesta segunda-feira (25), quando se completam um mês da tragédia que deixou 179 mortos, 131 desaparecidos e 185 desabrigados.

A 15ª cidade a ser atingida pelos rejeitos foi Papagaios, localizada na região Central do Estado. A cidade fica a cerca de 250 km do ponto onde a barragem se rompeu. Conforme a pasta, o monitoramento da qualidade da água do rio Paraopeba é feito pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) em conjunto com a Copasa, a Agência Nacional de Águas (ANA) e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). 

"O objetivo da rede é integrar os dados gerados por estas instituições para garantir maior abrangência na avaliação e transparência dos impactos gerados pelo rompimento da barragem nos ribeirões Ferro e Carvão e no rio Paraopeba", explica a Semad. 

Ainda de acordo com a secretaria, o monitoramento contempla parâmetros básicos de qualidade de água (temperatura, oxigênio dissolvido, turbidez e pH), a série de metais, além de concentração de metais nos sedimentos. Atualmente, são utilizados dados coletados em 11 estações às margens do rio Paraopeba, mas os órgãos também utilizam informações de outros seis pontos monitorados pela Copasa e CPRM.

Por fim, o último relatório feito pelos órgãos indica que, apesar dos maiores valores para os parâmetros monitorados terem ocorrido nos primeiros dias após o desastre, o que vem sendo observado é que existem grandes oscilações ao longo dos dias, principalmente devido à chuvas que remexem o material que ficou depositado ao longo do leito do Paraopeba. 

mapa da lamaMapa mostra o trajeto feito pela lama desde o seu rompimento

"Em relação à turbidez, na medição do dia 23/02 observou-se elevação considerável nos valores de turbidez nas duas estações de monitoramento de Pará de Minas e em uma de Esmeraldas comparativamente ao dia anterior. Os valores passaram de 346 NTU para 1.906 NTU e de 370 NTU para 2.105 NTU (em Pará de Minas). Na estação de Esmeraldas, os índices foram de 376 NTU para 2.338 NTU", conlui. 

Agora, faltam cerca de 70 km para que os rejeitos atinjam a Usina Hidrelétrica de Retiro de Baixo, último ponto antes do rio Paraopeba desembocar na barragem de Três Marias, do rio São Francisco. 

Confira a lista dos 15 municípios já atingidos: 

1. Brumadinho
2. Mário Campos
3. São Joaquim de Bicas
4. Betim
5. Igarapé
6. Juatuba
7. Esmeraldas
8. Florestal
9. Pará de Minas
10. São José da Varginha
11. Fortuna de Minas
12. Pequi
13. Maravilhas
14. Paraopeba
15. Papagaios