O skinhead assumido Antônio Donato Baudson Peret, conhecido como 'Donato Di Mauro", de 25 anos, foi solto na noite desta quarta-feira (23). Ele ficou conhecido depois de postar uma foto no Facebook em que enforcava um morador de rua, na Savassi, região Centro-Sul de BH.

Segundo a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), Donato deixou o Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, por volta das 21h40. O preso recebeu alvará de soltura concedido pela juíza federal Raquel Vasconcelos Alves de Lima, da 9ª Vara. Ele está atrás das grades desde o dia 14 de abril.

Além dele, Marcus Vinícius Garcia Cunha, de 26 anos, e João Matheus Vetter de Moura, de 20, que também são apontados como integrantes de um grupo neonazista que agia na capital mineira, que foram presos junto com Donato, já estão em liberdade. O primeiro deixou o sistema prisional em 8 de outubro e o segundo conseguiu a liberdade em 22 de abril. Todos eles estavam reclusos na Nelson Hungria. O trio aguarda julgamento, mas ainda não há previsão de quando será realizado.

O caso

O episódio de cunho racista e com apologia ao nazismo, ocorrido em Belo Horizonte, ganhou proporção diferenciada e reação imediata, uma vez que as imagens foram publicadas por meio das redes sociais.

Na foto, o internauta Donato di Mauro aparece enforcando um morador de rua com uma corrente, em plena luz do dia, na praça da Savassi. Após várias manifestações de repúdio ao ato preconceituoso de racismo, incluindo ameaças de denúncias aos órgãos competentes, o internauta, que é skinhead assumido, apagou a postagem. No entanto, o conteúdo já havia sido disseminado pela internet.