Apenas uma semana após estrear, uma linhas do Move Metropolitano foi extinta. A 406R, que ligava a estação São Gabriel à Cidade Industrial via avenida Amazonas, deixou de circular nessa sexta-feira (2) e pegou usuários desprevenidos.
 
A Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais (Setop) alegou que a linha apresentou um resultado abaixo do esperado. Ou seja, não teve demanda suficiente de passageiros que justificasse a permanência do serviço, “pois os usuários com destino à Cidade Industrial já têm à disposição a linha 405R, que tem o trajeto pela via Expressa do Terminal São Gabriel até a Cidade Industrial”.
 
A Setop justificou ainda que, nesta fase de implantação do Move Metropolitano, estão previstos ajustes na operação do sistema, caso sejam considerados necessários, com o objetivo de racionalizar o sistema e garantir mais agilidade e conforto aos usuários.
 
Críticas
 
No entanto, a Associação de Usuários do Transporte Coletivo de BH (AUTC), considera a extinção da linha lamentável. O secretário-geral da AUTC, Francisco de Assis Maciel, disse que ainda não houve tempo de gerar demanda para a 406R e que é natural que algumas linhas tenham mais usuários do que outras. 
 
“Além da falha nas questões técnicas, a medida demonstra desorientação dos gestores do transporte público em Minas Gerais. Eles não sabem o que fazem e se orientam simplesmente pelo barulho da caixa registradora. Se o dinheiro não entrar rapidamente, tiram o que atrapalha” denuncia Francisco, classificando a exclusão da linha como uma atitude mercadológica.
 
Por meio de nota, a Setop informou ainda que implantará a nova linha 402H, que vai oferecer aos passageiros do Terminal São Gabriel uma ligação à área hospitalar. “A linha 402H sairá do Terminal São Gabriel com destino à área hospitalar pela avenida Cristiano Machado, e deverá prosseguir pela avenida dos Andradas onde terá o ponto de embarque e desembarque na avenida dos Andradas e na rua Ceará, enquanto são realizadas as obras de construção do Terminal Bernardo Monteiro”.