O delegado Thiago Pacheco, da 3ª Delegacia de Venda Nova, apresentou à Justiça nesta quinta-feira (16) o inquérito sobre a morte de uma menina de 2 anos, que foi esquecida em um carro pela mãe. No documento, ele pede ao Ministério Público o arquivamento do caso, que aconteceu em dezembro de 2014.
 
Após analisar os laudos periciais, o investigador pediu a exclusão da culpabilidade, levando em consideração a causa da morte. Com isso, a mulher não será indiciada pela Polícia Civil. O Ministério Público irá analisar o inquérito para decidir se irá acatar o pedido.
 
Tragédia
 
A menina de 1 ano e 11 meses foi encontrada morta dentro de um carro fechado, no bairro Jaraguá, região da Pampulha, em BH, em 17 de dezembro de 2014. Segundo a Polícia Militar, a criança foi esquecida pela mãe no automóvel.
 
A tragédia familiar teria sido provocada porque a mulher mudou sua rotina. O marido dela era o responsável por levar a filha do casal ao berçário todos os dias. Porém, como o homem está viajando nesta semana, ela colocou a menina no veículo e, ao invés de seguir para a creche, foi até o Aeroporto da Pampulha, onde trabalha.
 
O carro ficou no estacionamento do aeroporto e, no fim do expediente, ela pegou o veículo, seguiu para a creche e só então se deu conta da tragédia. Ao encontrar a filha já com as extremidades arroxeadas, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado. No entanto, a criança já estava sem vida.
 
A mãe entrou em estado de choque com o fato. Ela tem outros dois filhos.