O bebê Leonardo tem apenas dez meses, mas já tem em seu currículo três importantes ensaios fotográficos, sendo dois na barriga da mãe, Paola Lopes, 31 anos, e um no peito dela, se alimentando. O último ocorreu na tarde deste sábado, e reuniu oito mães, com seus bebês. A proposta, sempre, foi quebrar preconceitos, enfrentar tabus, combater o machismo. Todos os cliques foram feitos pelo pai de Leonardo, o fotógrafo Alexandre Périgo, na Praça Luís Camões, esquina com rua Marília de Dirceu, no tradicional bairro de Lourdes, em Belo Horizonte (veja nos links abaixo).

Se há dez meses, antes de Leonardo nascer, os ensaios foram feitos com grávidas de barriga de fora vestindo lingeries, a proposta, desta vez,  é desmistificar a amamentação em público. "Os ensaios foram sequenciais. Agora fiz com as lactantes para combater a sexualização da amamentação, que é resultado do machismo", afirma o fotógrafo Alexandre Périgo.

Sua esposa, Paola Lopes, enfatiza que a escolha do local não é à toa. "Gostamos de fazer aqui porque é onde o preconceito está mais latente", afirma. Ela relata que quando amamentou sua filha mais velha, que hoje tem cinco anos de idade, sofreu muito preconceito, mas com Leonardo não tem tido problemas. No entanto, não é porque a sociedade mudou, mas porque ela tem saído pouco de casa com ele. "Percebo que não mudou muita coisa, apesar de o tema ser batido. Os homens ficam olhando de forma invasiva. Não é porque meu filho está mamando que meu peito está à mostra", critica.

O encontro foi organizado pelo casal, que fez uma convocação na internet. Uma das lactantes que aderiu ao chamado foi Thaiane Lima, 26 anos. Ela é mãe de Valentina, de 13 meses, e relata que sofre preconceito quando amamenta sua filha em locais públicos. "Nem sempre são palavras, mas são olhares de reprovação. Às vezes balançam a cabeça, fazendo um sinal de desaprovação", relata.

No entanto, ela diz que não vai parar de alimentar a filha quando for preciso. "Eu amamento em livre demanda. Onde ela pedir para ser amamentada, vai ser amamentada", enfatiza. Para ela, o ensaio feito neste sábado ajuda a empoderar as mulheres, que não precisam se sentir envergonhadas ao oferecerem leite materno aos seus filhos em locais públicos.

Atualmente, tramita na Câmara Municipal de Belo Horizonte um projeto de lei que garante a amamentação em público, e dá multa de até R$ 500 para o estabelecimento que criar constrangimentos à mãe. O projeto foi aprovado em primeiro turno, em novembro do ano passado.