Médicos da Santa Casa paralisam alguns serviços por atrasos no pagamento

Cristina Barroca - Hoje em Dia
11/02/2016 às 09:39.
Atualizado em 16/11/2021 às 01:22
 (Santa Casa/Divulgação)

(Santa Casa/Divulgação)

Médicos autônomos da Santa Casa, que recebem por procedimentos realizados, paralisaram alguns serviços a partir das 7 horas da manhã desta quinta-feira (11), e irão permanecer assim por tempo indeterminado. O corpo clínico se queixa dos atrasos constantes no pagamento dos honorários médicos, que chegam até oito dias após a data determinada, da falta de reajuste anual no valor dos procedimentos e ainda buscam por melhores condições de trabalho, além da qualidade da prestação.

Apenas os serviços de urgência são mantidos, como hemodiálise, procedimentos oncológicos, pronto atendimento de oftalmologia, obstetrícia, transplante, e atendimento integral para quem já se encontra internado. Consultas, exames, novas internações clínicas e cirurgias não estão sendo oferecidos no hospital no momento.

De acordo com o diretor clínico, Flávio Mendonça, responsável pela assistência médica, foi acordado com a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), em fevereiro de 2015, pagamento dos honorários médicos em duas datas do mês, uma no dia 12 e outra 20. Porém, ainda segundo o médico, durante todo o ano de 2015, os atrasos foram de dois a dez dias.

Melhores condições de trabalho

Os médicos reivindicam também reformas físicas e reposição de materiais em alguns setores e alegam que essas medidas precisam ser tomadas com urgência. "Há mais de cinco anos as reformas em alguns setores estão paradas. Tem enfermaria, inclusive, que necessita se adequar aos padrões da vigilância sanitária", afirma Flávio Mendonça.

Além disso, a categoria alega que precisam de equipamentos mais novos, como um ultrassom e contratos de manutenção para evitar que estes aparelhos fiquem parados e o paciente saia do hospital para realizar procedimentos, como exames. "É um desconforto que poderia ser evitado ao paciente, além de atrasar a conclusão do atendimento", reforça o diretor. "Estamos buscando uma assistência de melhor qualidade ao paciente", conclui.

Outro lado

O superintendente do Grupo Santa Casa se reuniu com os médicos, no fim da manhã desta quinta, mas, sem acordo, a categoria decidiu manter o protesto. No encontro, representantes do hospital apresentaram ações de melhoria na infraestrutura das enfermarias e de ajuste nos serviços e valores das consultas e exames no Centro de Especialidades Médicas.

Contudo, reforçaram que, com relação aos honorários, "a direção da instituição informa que a política geral de remuneração médica do SUS é decidida pelos gestores públicos das três esferas. As complementações que a instituição realiza já chegaram ao seu limite máximo".

Além disso, a Santa Casa de BH esclareceu que vem reduzindo despesas e melhorando seus processos internos, e também mantido contato com o gestor público municipal de saúde para ajustar os valores dos repasses que realiza à instituição e aos seus médicos.

"A Santa Casa BH manifesta que compreende e respeita a paralisação dos médicos autônomos, mas continuará envidando todos os esforços para manter seus serviços em funcionamento", disse em nota.

Atualizada às 17h35

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por