Profissionais da saúde se concentraram na manhã deste domingo (7), na Praça da Estação, em protesto ao governo federal pela falta de empenho e transparência no combate à pandemia de Covid-19. O grupo de médicos levantou faixas pedindo a saída do presidente Jair Bolsonaro, assim como instruções para previnir a contaminação e também apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS), exigindo mais recursos e equipamentos de proteção para médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde.

Os manifestantes também levaram cruzes para homenagear os 128 colegas que , segundo eles, perderam suas vidas no combate à doença. “É uma sensação de abandono. A gente ter que vir para a rua, contrariando o que nós mesmos defendemos sobre ficar em casa, mas não podemos negligenciar esses colegas, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que não estão mais com a gente. Queremos alertar os governantes para que tenham um olhar mais amplificado para os profissionais e essas famílias que perderam seu entes exercendo o seu trabalho”, afirmou o médico do programa Saúde da Família William Pereira.

 Usando máscaras e mantendo um distanciamento, os manifestantes reclamaram da falta de médicos e especialistas no Ministério da Saúde, assim como da falta dos boletins informando os números de casos confirmados e mortes. Hoje, o Brasil já passou da marca de 35 mil mortes e mais de 600 mil casos positivos para Covid-19.

Leia mais: 

Covid-19: Minas registra 764 novos casos e oito mortes pela doença em 24 horas