Mínimo de R$ 200 milhões é determinado para Vallourec reparar danos por transbordamento de dique

Bernardo Estillac
bernardo.leal@hojeeemdia.com.br
27/01/2022 às 19:02.
Atualizado em 30/01/2022 às 01:07
 (Reprodução / Redes Socias)

(Reprodução / Redes Socias)

Um acordo para mitigar efeitos ambientais provocados pelo transbordamento do Dique Lisa, em Nova Lima, Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi assinado nesta quinta-feira (27) pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Vallourec, empresa responsável pela mina.

A medida fixa uma garantia financeira mínima de R$ 200 milhões para realização de ações previstas no acordo. O contrato também obriga a mineradora a executar medidas emergenciais e a ressarcir despesas de órgãos públicos afetados pelo transbordamento.

De acordo com a Vallourec, desde o transbordamento, em 8 de janeiro, mais de 160 ações emergenciais já foram ou estão sendo executadas. A empresa declara prestar assistência a moradores de uma casa localizada na região de inundação. 

A mineradora também afirma que mais de 600 animais silvestres originários da região afetada pelo transbordamento foram transferidos do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras) do Ibama para criadouros e viveiros credenciados por órgãos ambientais

O Dique Lisa é uma estrutura de contenção da barragem da mina Pau Branco e transbordou durante um período de chuvas intensas no Estado. 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por