Mais de cinco mil pessoas saboreiam três toneladas de tropeiro no Santa Tereza

Raquel Ramos - Hoje em Dia
18/04/2015 às 16:51.
Atualizado em 16/11/2021 às 23:42
 (Carlos Henrique)

(Carlos Henrique)

A receita é simples, e velha conhecida dos mineiros: feijão, carne, farinha, tropeiro, ovo e couve. No entanto, não trata-se de um "tropeirão" qualquer. Quem passou na Praça Duque de Caxias, no bairro Santa Tereza, neste sábado (18), teve a chance de experimentar o prato que, provavelmente, entrará na lista do Guiness Book como o maior feijão tropeiro do mundo.   A ideia - ousada e inusitada, diga-se de passagem - foi de Christiano Rocco, organizador do evento. Cozinheiro amador e amante da gastronomia mineira, inventou um modo de dar destaque ao que ele considera ser o principal representante da culinária das terras de Minas.   "Em 2013, foi criado o Gastronomia na Praça, que tinha a intenção de levar chefs para os espaços públicos. Após duas edições, pensamos em transformar esse evento em circuitos temáticos. Começamos hoje, com o feijão tropeiro", contou.   Mas não é fácil entrar para o livro dos recordes. A preparação começou há mais de 30 dias, com a compra de duas toneladas de feijão, uma tonelada de carne e mais de 800 quilos de ingredientes diversos. Na última terça-feira, o feijão foi pré-cozido, as carnes picadas e os vegetais higienizados. E, neste sábado, uma cozinha a céu aberto começou a funcionar às 7 horas da manhã.   "Somos 52 pessoas, dentre chefs, cozinheiros e equipe de apoio, participando do desafio. Temos uma panela gigante e, de pouco em pouco, pesamos o alimento preparado", explicou Rocco. Para tirar qualquer suspeita de fraude, uma equipe do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) verificou a balança utilizada. E cada pesagem, feita na presença de testemunhas, está sendo documentada com fotos e vídeos.   Os relatórios serão enviados para a sede do Guiness Book, em Londres, na Inglaterra. O objetivo de Rocco é chegar, até o início da noite deste sábado, a 3 toneladas de feijão tropeiro prontos. Quantidade suficiente para desbancar o último recorde: 500 quilos da mesma receita, em um evento do Espírito Santo. Não se sabe quando o resultado será divulgado.   Público   Não faltou gente interessada em experimentar uma das iguarias mais tradicionais de Minas. Cerca de 5 mil pessoas passaram pela Praça Duque de Caxias, dispostas a enfrentar uma longa fila, só para saborear o "tropeirão".   O prato tradicional custava R$ 15; a opção gourmet - com dois tipos de farinha, calabresa e pimenta - saiu por R$ 12; e o tropeiro vegetariano, com linguiça, bacon e torresmo de soja, foi vendido a R$ 10.   "Está uma delícia, quentinho e bem temperado. Com certeza vou repetir", elogiou a aposentada Maria Rita da Silva.
   

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por