Mais de mil cruzes foram colocadas na escadaria da Igreja São Gonçalo, no Centro de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na madrugada desta segunda-feira (14), em homenagem às vidas perdidas pela Covid-19. O objetivo, de acordo com as instituições organizadoras do manifesto, é chamar a atenção da sociedade para a importância da prevenção.

Contagem, conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) desta segunda, já registrou 1.582 óbitos em decorrência da enfermidade causada pelo coronavírus. Além disso, 35.441 casos da doença foram confirmados no município. 

O manifesto é assinado pelo Coletivo Geração GK; Núcleo de Incentivo à Cidadania (NIC); Sociedade Mineira de Mulheres (SMM); Sociedade de Utilidade Pública do bairro Nacional; e Ação da Mulher Trabalhista (AMT). O grupo também divulgou uma carta sobre o protesto. Leia na íntegra:

"Há 15 meses acompanhamos com apreensão o aumento do número de mortes pela Covid-19. O ambiente em que o Brasil se encontra é simplemente caótico e aterrador. As mortes, mesmo em um cenário decrescente é ainda na casa das 3 mil diárias já chegando a quase meio milhão de vidas ceifadas por essa doença.

Há um luto coletivo pela tristeza de tantas vidas perdidas, de tantos sonhos interrompidos, de tantas famílias sem pai e sem mãe, de tantos filhos sem colo e de tantos abraços, risadas e amigos que se foram. Se foram cedo demais.

Simplesmente porque muitas dessas mortes poderiam ter sido evitadas caso o Brasil tivesse um comando central e uma gestão voltada para promover a saúde e orientar a população sobre os protocolos sanitários, utilizados em todo o mundo, mas que infelizmente em nosso país viraram piada, escárnio e descrédito.

As falas anticientíficas que banalizam uma doença grave e mortal em nada ajudaram a poupar vidas de brasileiros e brasileiras no atendimento a saúde.

Para a população pobre e moradora das periferias das grandes cidade há um sentimento de que todos os que sempre ignoraram e se omitiram são os que agora não se mobilizam diante dessa situação emergencial e totalmente fora do controle na qual nos encontramos.

Vivemos um momento mundial extremamente grave que exige governos comprometidos com a saúde geral da sociedade onde decisões rápidas devem ser tomadas para salvar vidas, já que uma doença que mata com 4,5 dias não pode esperar. Temos vivido rodeados pela morte.

Você certamente conhece alguém que já não está mais aqui vítima da COVID-19.

Se é seu caso, lamentamos seu luto. Se você está saudável, se cuide. Se proteja e proteja aqueles que você ama. Precisamos de você aqui.
Precisamos de você na nossa luta."

Leia mais:
BH registra 10°C, menor temperatura do ano; Defesa Civil alerta para frio intenso até sexta
Ministério autoriza envio da Força Nacional para reserva Yanomami
Butantan entrega mais 1 milhão de doses de vacina ao governo federal