Mais uma unidade de saúde foi fechada por suspeita de sarampo, em Belo Horizonte. Desta vez, foi o posto de saúde do bairro Lagoa, na região de Venda Nova. Por volta das 14h, uma mulher com uma criança com suspeita da doença deu entrada na unidade em busca de atendimento. 

A informação foi confirmada pela gerente de vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Patrícia Merljak. Segundo ela, foi acionado o protocolo de segurança, como recomendado pelo Ministério da Saúde. Na prática, é realizada a vacinação de todos os usuários e funcionários presentes no local e que ainda não foram imunizados contra o sarampo. Depois, o local é higienizado.

"(O atendimento) foi interrompido por duas horas em virude das ações de segurança. Foi feito o bloqueio rapidamente e realizadas as medidas de desinfecção. As medidas de proteção e controle são justamente para interromper a cadeia de transmissão. Após as duas horas de serviço suspenso, o posto voltou a funcionar", explicou a gerente.

O primeiro caso que levou ao fechamento temporário foi nessa quarta-feira (21), na UPA Centro-Sul de BH. A entrada de um paciente, de 30 anos, que tinha chegado recentemente de São Paulo, interrompeu os atendimentos na unidade por cinco horas. Acolhimentos foram suspensos e os profissionais precisaram imunizar os pacientes.

O sarampo em Minas

Minas Gerais tem 55 casos de sarampo em investigação, sendo que três deles "muito provavelmente serão confirmados", segundo boletim divulgado nessa quinta-feira (22), pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os três casos são de moradores dos municípios de Viçosa, na Zona da Mata; Uberlândia, no Triângulo Mineiro; e Passos, no Sul de Minas; que apresentaram sintomas compatíveis com a suspeita, tiveram contato com pessoas de São Paulo e já possuem os exames iniciais reagentes. Segundo a SES, para a confirmação faltam algumas etapas da investigação e protocolos que impedem a classificação até o momento. 

O levantamento mostra, ainda, que, desde o início de 2019, foram notificados 221 casos suspeitos de sarampo provenientes de 78 municípios mineiros. Desses, 162 já foram descartados e 4 foram confirmados.

No país

O sarampo se espalha pelo país. Na última pesquisa, onze unidades da federação apresentavam transmissão ativa do vírus do sarampo: São Paulo, Rio, Pernambuco, Bahia, Paraná, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Sergipe e Piauí. Em três meses, foram confirmadas 1.680 infecções, a maior parte delas em São Paulo (1.662).

Sobre a doença

O sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, grave, transmissível, altamente contagiosa e comum na infância. A doença começa inicialmente com febre, manchas avermelhadas pelo corpo, sintomas respiratórios e oculares. Também incluem tosse, coriza, rinite aguda, conjuntivite, fotofobia (aversão à luz) e manchas de koplik (pequenos pontos esbranquiçados presentes na mucosa oral). 

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções presentes na fala, tosse, espirros ou até mesmo respiração. Na presença de pessoas não imunizadas ou que nunca apresentaram sarampo, a doença pode se manter em níveis endêmicos, produzindo epidemias recorrentes.

sarampo

Leia mais:
'Dose zero' contra o sarampo começa nesta 5ª em Minas; tire todas as dúvidas sobre a vacina
Esforços para barrar avanço do sarampo ganham força após isolamento de UPA em BH
Minas investiga 55 casos de sarampo; três têm forte indício de confirmação, segundo Saúde