A Polícia Civil de Minas Gerais identificou mais uma vítima do rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho. É o funcionário da Vale Max Elias de Medeiros, de 37 anos. Até o momento, foram identificados 257 mortos na tragédia e outras 13 estão desaparecidas.

Os segmentos corpóreos de Max chegaram ao Instituto Médico Legal no dia 11 de novembro e tiveram de ser levados ao Instituto de Criminalística para a identificação por DNA. O resultado final ficou pronto na segunda-feira (2). A família foi comunicada na mesma data.

O trabalho de buscas pelos desaparecidos continua sendo feito pelo Corpo de Bombeiros. Diariamente, mais de 80 militares são empenhados na área atingida pela lama, contando com drones e mais de cem maquinários. 

A Polícia Civil comunicou publicamente a identificação por meio do Instagram:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) acaba de identificar mais uma vítima do rompimento da Barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho. O funcionário da Vale, Max Elias de Medeiros, 37 anos, foi identificado por DNA. Seus segmentos chegaram ao Instituto Médico Legal em 11 de novembro e seguiram para o Instituto de Criminalística, visto que era impossível identificação por outros métodos. Após cumpridos todos os protocolos de confirmação, o resultado final saiu há pouco. A família já foi comunicada. Portanto, 257 pessoas já foram identificadas. 13 estão desaparecidas. #identificacao #pcmg #dna #brumadinho

Uma publicação compartilhada por Polícia Civil de Minas Gerais (@pcmg.oficial) em

Leia mais:
Ação do MP tenta barrar licenciamento de mineradora chinesa para megabarragens no Norte de Minas
Justiça autoriza Vale a retomar produção na Mina de Brutucu
Moradores de Brumadinho protestam contra restrição do auxílio emergencial