Aproximadamente 30 pessoas pernoitaram no saguão da Câmara Municipal de Belo Horizonte e, parte do grupo, permanece acampado no espaço na manhã desta quarta-feira (2). Os manifestantes são dos movimentos Passe Livre, Tarifa Zero e Assembleia Popular e protestam contra o aumento de passagem dos ônibus da capital.
 
A ocupação ocorreu por volta das 23h de terça-feira (1º) e não tem previsão para o protesto ser encerrado. Conforme Paulo Rocha, integrante do Passe Livre, nesta quarta o grupo irá protocolar a pauta de reivindicações. Ele garantiu que a Câmara só será desocupada quando o reajuste for revogado. Durante a madrugada, o presidente da Casa, vereador Welligton Magalhães, se reuniu com os representantes da ocupação. O parlamentar teria afirmado que vai intermediar uma reunião entre os manifestantes com as comissões de Transportes e Direitos do Consumidor. 
 
"Não estamos aqui achando que uma reunião seria uma vitória. Queremos a revogação do aumento da passagem. O segundo reajuste é ilegal", afirmou Rocha. Além disso, os ocupantes querem, também, a convocação de Audiência Pública e CPI para discutir o tema e auditoria técnica, fiscal e contábil das planilhas das empresas de ônibus.
 
Reajuste
 
Na última segunda-feira (31), os manifestantes organizaram o quarto protesto contra o aumento das passagens de ônibus em BH. O ato ocorreu na Praça 7, no Centro, e foi pacífico. A cobrança do novo valor de R$ 3,40 está em vigor desde 8 de agosto e foi autorizada pela Justiça após uma ação da Prefeitura de Belo Horizonte. Atualmente, tramitam três ações no Fórum Lafayette, sendo duas da Defensoria Pública de Minas Gerais e uma do Ministério Público Estadual.