Um grupo de manifestantes fecha a alameda da Educação, na Praça da Liberdade, no Funcionários, região Centro-Sul da capital, na noite desta quinta-feira (31) em repúdio ao rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

De acordo com a BHTrans, o trânsito no local foi desviado para as ruas Gonçalves Dias e da Bahia. A empresa não informou os reflexos no tráfego na área, mas acompanha a manifestação. Segundo a Polícia Militar, não há registro de ocorrência no sistema ou pedido de acompanhamento de manifestação em curso. 

Intitulada Ato Contra o Massacre da Vale em Brumadinho, a manifestação foi organizada, via Facebook, pela Frente Brasil Popular-Minas via Facebook. Na página do ato, 443 pessoas afirmaram que compareceriam ao evento. 

De acordo com a organização do manifesto, o objetivo é pressionar a Vale para que garanta o direito dos familiares das vítimas de enterrar seus entes, com acesso à informação sobre mortos e desaparecidos, além de ações mitigatórias emergenciais.

"Exigimos também que a responsabilidade pelo levantamento e cadastramento de vítimas seja de instituição pública e não de empresa contratada pela Vale, como tem sido feito, contrariando determinação do Ministério Público", afirmou a organização, na rede social. 

Leia mais:

Após interrupção por risco de tempestade, buscas são retomadas em Brumadinho
'O mais difícil é lidar com a dor das famílias', diz tenente Aihara sobre rotina em Brumadinho