Moradores e representantes das comunidades Dandara e Eliana Silva, dirigidas pelas Brigadas Populares e pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas – MLB, ocuparam a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, no início da tarde desta segunda-feira (29).

Segundo representantes, cerca de 100 pessoas estão no hall do gabinete do prefeito, na avenida Afonso Pena, no centro da cidade, com faixas e cartazes, aos gritos de ordem. O ato é pelo direito constitucional de moradia e tem como intuito pressionar o prefeito Marcio Lacerda (PSB), que havia prometido, no dia 10 de julho, uma reunião com os membros dessas ocupações urbanas.

A previsão é que eles só deixem o local após uma negociação, sendo que há a possibilidade de que os manifestantes acampem no prédio. No grupo também estão algumas pessoas que recentemente participaram da ocupação da Câmara Municipal. Por meio de uma página no Facebook, os organizadores do movimento afirmaram que a prefeitura de BH já havia sido contactada, em outras ocasiões, para a abertura de negociações.

"Em razão dos protestos ocorridos em junho, o prefeito declarou que iria receber representantes das ocupações. Então, realizamos uma solicitação formal, protocolamos um pedido de reunião na Prefeitura de BH no dia 10 de julho. Até então não obtivemos retorno algum", escreveram na rede social.

Os manifestantes usaram as redes sociais para divulgar imagens de pessoas de diversas partes do país e até de fora do Brasil que apóiam o movimento. Em um álbum com 52 fotografias, algumas aparecem carregando cartazes clamando que o prefeito Marcio Lacerda receba os protestantes.

Ainda por meio do Facebook, o representantes informaram que precisam de lanches, já que o almoço deve demorar e as crianças que integram a ocupação estariam com fome.

No texto, os manifestantes dizem ainda que profissionais da imprensa estão sendo impedidos de entrar na sede da PBH, por isso, eles orientam aos interessados em integrar a ação entrar pelo acesso da rua Goiás. 

Atualizada às 13h55