Um grupo de apoiadores de Jair Bolsonaro se reuniu em carreata na manhã deste domingo (28), em Belo Horizonte. Os manifestantes são contra o fechamento de atividades consideradas como não essenciais na cidade, medida tomada para tentar conter o avanço da Covid-19, e pedem a reabertura do comércio. O protesto terminou em frente ao prédio onde mora o prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil.

Os manifestantes se concentraram na Praça do Papa, localizada no bairro Mangabeiras, região Centro-Sul, e saíram em carreata pelas ruas da cidade em direção à Praça Marília de Dirceu, onde fica a residência do chefe do Executivo municipal. No local, eles pediram a saída de Alexandre Kalil e cantaram o hino nacional. 

O grupo carregava faixas com dizeres como “Essencial é o que põe comida na mesa”, "Liberdade para trabalhar" e "Fome também mata". Usavam bandeiras do Brasil e roupas em verde e amarelo. Muitos participantes não utilizavam máscaras de proteção e houve registro de aglomeração.

O prefeito Alexandre Kalil ainda não comentou sobre o protesto. 

Veja vídeo:

Pandemia em BH

A partir deste domingo, estabelecimentos como supermercados, padarias, sacolões e açougues só poderão funcionar na capital de segunda a sábado. A decisão foi tomada diante do agravamento da pandemia na cidade, com leitos 100% ocupados e pessoas aguardando atendimento em fila de espera.

Outras medidas, como o fechamento do comércio não essencial, restrição na circulação de pessoas e toque de recolher entre 20h e 5, estão em vigor há quase duas semanas em BH, mediante adoção da Onda Roxa do programa Minas Consciente.

Até o momento, a Covid já matou 3.145 pessoas em Belo Horizonte, segundo dados do boletim epidemiológico divulgado na última sexta-feira (26). Foram 138.127 casos confirmados desde o início da pandemia, há um ano.

Leia mais:
Fiocruz recebe insumos para produção de 12 milhões de doses da AstraZeneca
Minas tem 321 mortes por Covid-19 em 24 horas e já ultrapassa 1,1 milhão de contaminados
Fhemig abre 44 vagas para contratação temporária de profissionais de saúde em BH e Três Corações
Triste recorde: Brasil registra 3.438 mortes por Covid-19 nas últimas 24h