Manifestantes contra o aumento das passagens de ônibus de Belo Horizonte realizaram um protesto no início da noite desta segunda-feira (31), na Praça 7, no Centro da capital mineira. Este é o quarto ato na cidade, organizado por meio das redes sociais, pelo Movimento Passe Livre (MPL) e Tarifa Zero BH, além de outras organizações, como integrantes de ocupações populares.
 
A Polícia Militar acompanhou o ato, que ocorreu de forma pacífico. O grupo, composto por aproximadamente 50 pessoas, contornou o monumento da Praça 7 pedindo a redução da tarifa. Em seguida, foram até a porta da Prefeitura de BH e depois se dispersaram.
 
Por causa do protesto, o trânsito ficou parcialmente interditado no sentido Mangabeiras. Somente uma faixa da via ficou liberada para o tráfego de veículos. Devido ao bloqueio, o fluxo de veículos é problemático em parte do Centro de BH. 
 
A cobrança do novo valor de R$ 3,40 está em vigor desde 8 de agosto e foi autorizada pela Justiça após uma ação da Prefeitura de Belo Horizonte. Atualmente, tramitam três ações no Fórum Lafayette, sendo duas da Defensoria Pública de Minas Gerais e uma do Ministério Público Estadual.
 

Manifestantes realizam 4º ato contra aumento de passagem de ônibus em BH

Protesto ocorre de forma tímida no Centro de Belo Horizonte (Foto: Aline Louise/Hoje em Dia)

Novas ações
 
Nesta terça-feira (1º), os movimentos pretendem ir à Câmara Municipal para entregar um abaixo-assinado contra o aumento. Uma audiência pública será realizada para debater o reajuste. Os manifestantes querem pressionar os vereadores a se posicionarem sobre o assunto.
 
Outros protestos
 
Esse é a quarta manifestação realizada em Belo Horizonte contra o aumento de tarifa de ônibus. Os três atos anteriores foram marcados pela interrupção de ruas e avenidas, além do confronto entre a Polícia Militar e manifestantes, no primeiro protesto, na rua da Bahia, no Centro de BH.
 
O último ato foi realizado na avenida Amazonas, em frente ao Cefet 1, no Nova Suissa, região Oeste de Belo Horizonte, em 25 de agosto. Lá, eles chegaram a fechar parte da via por uma hora, liberando apenas uma faixa. Com cartazes, faixas e gritos de ordem, eles exigiam a redução da tarifa. O trânsito ficou complicado na região, com congestionamento chegando a 1,5 quilômetro.
 
No segundo ato contra o aumento da passagem de ônibus, em 14 de agosto, o grupo formado por cerca de 6 mil pessoas realizou uma passeata pelo Centro de BH, indo até a Praça da Savassi e depois para a Praça da Liberdade. De lá, voltaram à Praça 7. ,Mesmo com bloqueio total de vias, não houve intervenção da PM. Nenhum manifestante foi detido ou ferido durante a passeata.
 
Já no primeiro protesto, em 12 de agosto, foi marcado pela violência. Ao menos 62 pessoas foram detidas e várias ficaram feridas após os militares avançarem contra os participantes do ato, que começou de forma pacífica. O confronto ocorreu na rua da Bahia, após os manifestantes fecharem a via.
 
*Com informações de Aline Louise
 
Atualizada às 20h11