Manifestantes realizaram novo protesto contra o racismo, na tarde deste domingo (22), no Centro de Belo Horizonte. Mais uma vez, os participantes foram para a frente de lojas da rede Carrefour para demonstrar indignação pela morte de João Alberto Silveira Freitas, espancado por dois seguranças de uma unidade do supermercado, em Porto Alegre, na noite do dia 19.

O movimento se concentrou na Praça Sete e rumou para as lojas da rua Guajajaras e São Paulo. Pelo Twitter, os manifestantes registraram o protesto que pedia igualdade racial, o fim da violência contra negros e também justiça pela morte de Freitas. Na tarde de sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra, também houve protesto em BH e outras capitais.

No sábado (21), o Carrefour postou um vídeo com seus executivos pedindo desculpas e afirmaram que a morte de João Alberto não pode passar em branco e que a empresa se compromete a combater o racismo estrutural. "Se uma crise como essa, está acontecendo conosco, é porque temos responsabilidade de mudar isso na sociedade", afirma o presidente do Carrefour Brasil, Noel Prioux.