A Prefeitura de Mateus Leme, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, decidiu nesta quinta-feira (15) suspender o Carnaval de rua que tradicionalmente é realizado no município. Conforme o Executivo, a medida foi tomada para conter gastos, já que a prioridade é concluir três unidades de saúde, entregar a nova unidade do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e pagar os servidores. Ainda segundo a prefeitura, a enconomia aos cofres municipais de cerca de R$ 300 mil. 
 
“A Prefeitura sempre esteve do lado da população, administrando os recursos públicos de acordo com os anseios sociais. As prioridades do governo sempre foram no sentido de garantir o bem estar do cidadão, criando e oferecendo condições de lazer. Mas, diante da falta de recursos, tivemos que tomar uma decisão contrária a nossa vontade e pautada na responsabilidade financeira de garantir dinheiro para o andamento de várias obras que estão em fase de conclusão no município”, explicou o prefeito Marlon Guimarães. 
 
“Consideramos o carnaval importante, mas mais importante é garantir o pagamento dos funcionários e assegurar a manutenção de serviços essenciais, prestando toda assistência ao desenvolvimento e continuação de projetos sociais em vários setores da Prefeitura”, defendeu o prefeito.
 
Atualmente o carnaval de Mateus Leme custa aos cofres públicos cerca de R$ 300 mil e é integralmente bancado pela prefeitura.