Cordas, equipamentos de rapel e uma furadeira. Os materiais, que poderiam pertencer a um atleta, foram apreendidos nesta quarta-feira (28) na casa de um homem que é suspeito de integrar uma quadrilha que usou as técnicas do esporte radical para invadir e furtar pelo menos 10 comércios de Patos de Minas, no Alto Paranaíba. O homem, de 27 anos, foi preso em flagrante na casa da namorada após o furto a um sacolão ocorrido durante a madrugada. 

Durante coletiva de imprensa, o delegado da Polícia Civil (PC) Everton Evangelista conta que os crimes já vinham sendo investigados desde novembro do ano passado. "Percebemos que havia um número elevado de furtos da comércios, sempre entrando pelo telhado, com utilização de cordas e equipamentos de rapel. Fomos investigando e chegamos a cinco suspeitos, entre eles um homem de 35 anos que seria o cabeça do bando", disse o policial. 

O organizador dos crimes, que não foi localizado pela polícia nesta quarta, inclusive já prestou depoimentos na delegacia da cidade, tendo confessado envolvimento em cerca de 10 furtos, sendo que em cada ocasião ele levava um comparsa diferente. "Ele obtinha informações dessas empresas pela internet, como onde estava o sistema de câmeras, os alarmes. Depois de entrar pelo telhado já no local onde estava o sistema de monitoramento, ele arrombava cofres e levava grandes quantias em dinheiro", lembra Everton. 

Nesta quarta, os ladrões acabaram surpreendidos pela Polícia Militar (PM) durante o assalto ao sacolão, e acabaram fugindo deixando uma mochila com R$ 16 mil para trás. A apreensão acabou levando a PC a ir até a casa da namorada de um dos suspeitos de envolvimento com o bando, onde ele foi encontrado e preso. Também foram apreendidos no local materiais usados nos roubos, como os equipamentos de rapel, luvas, cordas, um carro usado no furto e uma moto que pertence ao cabeça do bando, além de documentos do suspeito que segue sem ser localizado pela polícia. 

Prejuízo pode chegar a R$ 500 mil 

Ainda de acordo com o delegado Everton Evangelista, são investigados 15 furtos ocorridos desde novembro do ano passado, sendo que em todos eles foram levados grandes quantias em dinheiro. "Em alguns dos casos nem o proprietário sabia dizer o valor que estava no cofre, devido ao movimento do caixa. Mas acreditamos que o prejuízo total pode chegar a R$ 500 mil", aponta. 

Todos os suspeitos de envolvimento com a quadrilha possuem passagens policiais, seja po uso de drogas, tráfico e até posse de arma de fogo. Além do homem preso e do líder, um terceiro membro da quadrilha, de 21 anos, também é procurado pela PC. Os envolvidos poderão responder por furto qualificado e associação criminosa. 

Leia mais:
Casal simulava aluguel de imóveis para roubar empresas de festas de BH
Suspeito de furtar documentos históricos em Minas agiu por pelo menos dois anos
Quadrilha especializada em furto de bicicletas de luxo em prédios da UFMG é presa pela PC