A pré-adolescente baleada na perna após ação da Polícia Militar na Vila Cafezal, na região Centro-Sul da capital, na noite do último sábado (11), foi operada no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII e não corre risco de morte, mas terá que passar por nova cirurgia. As informações foram dadas pela mãe da menina, de 11 anos, na manhã desta segunda-feira (13).

A menina passou por cirurgia no mesmo dia em que foi baleada. Embora não corra riscos, ainda não há previsão de alta. Além disso, a menina terá que fazer novo procedimento, também sem data marcada. 

"Hoje foi minha filha e amanhã será o filho de outra pessoa. Estou revoltada e me sinto impotente diante disso tudo. É um grande pesadelo", afirmou Roseana Rosa, mãe de Lavínia. 

No dia do incidente, a garota seguia com a mãe para a padaria, por volta das 23h15, quando foi atingida na perna direita. Ela foi encaminhada consciente para atendimento médico enquanto, em estado de choque, o policial que disparou a arma foi levado para atendimento psiquiátrico e foi liberado. 

De acordo com a PM, o caso teve início após uma denúncia de que dois indivíduos trafegavam de forma suspeita em uma motocicleta na avenida Bandeirantes, no bairro Serra, também na região Centro-Sul. Na ocasião, os agentes encontraram os suspeitos e deram a ordem de parada à dupla, que ignorou e fugiu.

Os homens foram seguidos e, já na Vila Cafezal, na rua Serenata, desembarcaram. Nesse momento, segundo a PM, o passageiro da moto sacou uma arma e apontou em direção ao militar, que revidou com um disparo.

O tiro, no entanto, atingiu a garota. Nesse instante, a dupla de suspeitos fugiu, arremessando uma réplica de arma de fogo e um radiocomunicador. Eles deixaram a motocicleta estacionada. 

Imediatamente, segundo a PM, a pré-adolescente foi atendida pelos agentes e encaminhada para o hospital, em estado consciente. Ainda segundo a polícia, o militar que atirou na garota ficou em estado de choque após o ato e foi atendido pela ala psiquiátrica do mesmo hospital.

Após pesquisa, a PM identificou que a motocicleta é de propriedade de uma moradora da Vila Nossa Senhora da Conceição. Em contato com a mulher, os militares foram informados que o veículo estava sob a responsabilidade de seu ex-marido. Nenhum suspeito foi localizado.

O caso ficou a cargo da Central de Flagrantes (Ceflan) 3. A PM informou que irá abrir procedimento para apurar a conduta do policial.