O poema de uma garotinha de 10 anos em reconhecimento e homenagem ao trabalho do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) na tragédia de Brumadinho, na Grande BH, chegou até a corporação nesta sexta-feira (15) e emocionou os militares. No texto, a menina relembra a tristeza que todos têm sentido diante do rompimento da barragem e afirma que o trabalho de bombeiro "não parece fácil".

Leia:

Helena Silva

Temática foi escolhida por menina e entregue nesta sexta aos Bombeiros

Para o porta-voz do CBMMG, tenente Pedro Aihara, o gesto da garotinha é carinhoso e amável. "A situação toda é muito triste mas esses pequenos gestos acalentam o coração de nossos militares", declarou.

O exercício extraclasse, com temática livre, foi proposto pelos professores de Helena no último dia 6. De acordo com a mãe, a esteticista Ludymilla Silva, 32, a menina escolheu o tema sozinha e foi auxiliada apenas em momentos pontuais. "Ela gosta de fazer poesias e desenhos desde sempre", contou. 

Medo à flor da pele

Helena nasceu na capital, mas está morando há dois meses na cidade-natal do pai e da mãe: Congonhas, na região Central do Estado. 

Segundo Ludymilla, a garotinha está muito sensibilizada com a situação de Brumadinho e preocupada pelo fato de ela, o pai, a mãe e o irmão de 6 anos, estarem vivendo em uma cidade com barragem de rejeitos - a Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).  

família Ludymilla Silva

Na imagem, Helena, o irmão e a mãe

"Ela acorda à noite e pede para dormir comigo e meu marido, com medo. É uma bomba-relógio, né? Estamos todos apavorados", contou a congonhense, que morava em BH devido ao trabalho do companheiro. O casal, que também tem um filho de 6 anos, retornou para Congonhas para ficar mais próximo da família.

Leia mais:

Ato na Candelária homenageia vítimas de Brumadinho e do Flamengo

CPI vai apurar risco de desabastecimento de água em BH após tragédia em Brumadinho

Fórum na Faculdade Kennedy discute o futuro da mineração em Minas; assista aos vídeos