Após exatos noves meses do desaparecimento de Keyla Kelly Gonçalves, de 7 anos, em Mateus Leme, na Região Metropolitana, a Polícia Civil (PC) anunciou nesta sexta-feira (12) que está perto de desvendar o mistério que cerca o fato. A garota estava na casa da avó e nunca mais foi vista.

O delegado Fábio Werneck informou, por meio da assessoria de imprensa da PC, que o tio da menina é suspeito de ter matado e ocultado o corpo. Ele confessou o crime e apontou onde estariam os restos mortais da vítima. No entanto, afirmou que a morte foi acidental.

Na tarde desta sexta-feira, peritos irão até o local para realizar buscas e tentar encontrar a ossada que seria de Keyla. Ainda de acordo com informações da Polícia Civil, o suspeito chegou a ser preso por ter cometido dois estupros.

Relembre o caso

Keyla Kelly sumiu no dia 12 de setembro de 2014 e, de acordo com informações da Polícia Militar na época, ela foi vista pela última vez na casa da avó, na rua Angélicas, bairro Jardim de Alah, onde estaria assistindo a televisão. Em um primeiro momento, familiares da criança pensaram que ela tinha ido encontrar com a mãe, que estava na casa de um parente, na mesma rua. Contudo, a menina desapareceu.

A PM foi acionada e vizinhos relataram que não ouviram, no dia do sumiço, barulhos nem movimentação de veículos no local. Buscas foram feitas nos arredores, mas ninguém conseguiu pistas sobre o paradeiro da vítima.

Populares falaram que viram um homem de blusa clara e capuz correndo pelas imediações do bairro, mas não há informações sobre a participação dele no desaparecimento da menina.

*Com Polícia Civil