Campanha iniciada há quase 50 dias, menos de 30% do público-alvo foi vacinado contra a gripe em Minas Gerais. Por causa da baixa adesão, o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, fez um apelo nesta segunda-feira (31) para que as pessoas que integram os grupos prioritários busquem os postos e garantam a proteção contra a influenza.

“É importante que a população entenda que a gripe também é uma doença que pode matar. Ela tem uma letalidade menor, mas pode ter gravidade e levar à morte. Então, a população tem que ir aos postos de saúde e tomar a vacina”, afirmou o titular da pasta

Até esta segunda, apenas 28,6% do total de 8.433.958 mineiros do grupo prioritário haviam sido imunizados contra a gripe, conforme dados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), do Ministério da Saúde. A meta é proteger pelo menos 90% até o fim da ação, previsto para 9 de julho.

Atualmente, está em andamento a segunda etapa, voltada para professores e idosos. A primeira fase, que começou em 12 de abril, era destinada a gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, crianças de 6 meses a menores de 6 anos e povos indígenas – quem integra esses grupos e não recebeu a dose ainda pode procurar os postos de saúde.

Na terceira fase, a partir de 9 de junho, é a vez das pessoas com comorbidades, indivíduos com deficiência permanente, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e socioeducativo, adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, membros das Forças de Segurança e Salvamento, integrantes das Forças Armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte e de portos.

Covid-19

Por questões de segurança, as pessoas devem respeitar um intervalo de 14 dias entre as vacinas contra o novo coronavírus e a influenza. “A Covid-19 e a gripe têm sintomas muito semelhantes, como febre, dor no corpo, dor de cabeça e coriza. Se uma pessoa apresenta esse quadro, o ideal é que ela busque a unidade de saúde para ser avaliada por um profissional, que vai traçar o acompanhamento clínico”, alerta a coordenadora do Programa de Imunizações da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Josianne Gusmão.

Veja o número de doses aplicadas em Minas:

1ª FASE (12/4 a 10/5)

  • Crianças - 899.793 (62,2%)
  • Gestantes - 98.779 (51,3%)
  • Trabalhadores de saúde - 265.182 (43,8%)
  • Puérperas - 19.646 (62%)
  • Povos indígenas - 10.325 (75,3%)

2ª FASE (11/5 a 8/6)

  • Idosos - 1.008.642 (29,3%)
  • Professores - 107.133 (39,8%)

3ª FASE (9/6 a 9/7)

  • Pessoas com comorbidades
  • Pessoas com deficiência permanente 
  • População privada de liberdade 
  • Adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas 
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade 
  • Forças de segurança e salvamento
  • Forças armadas (membros ativos) 
  • Caminhoneiros 
  • Trabalhadores de transporte 
  • Trabalhadores portuários

Leia Mais:
Vacinação em massa em cidade paulista mostra que pandemia pode ser controlada
Defesa Civil alerta para pancadas de chuva em BH até a manhã desta terça
Presidente da Câmara dos Deputados diz que reforma tributária vai ser a melhor possível