O primeiro dia de flexibilização gradual do comércio em Belo Horizonte, nesta segunda-feira (25), marcado por filas em algumas lojas e em pontos de embarque e desembarque de ônibus, além de ausência de álcool em gel em alguns coletivos, foi avaliado, preliminarmente, como "tranquilo diante de uma nova normalidade" pelo infectologista Carlos Starling, médico integrante do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da capital. Segundo a Prefeitura de BH, agentes da BHTrans e Guarda Municipal fazem a fiscalização e acompanhamento desses locais.

"Nós ainda não temos uma avaliação. A princípio, pelo que a Guarda Municipal nos passou, tem sido muito tranquilo e não parece que tenha tido maiores problemas. Talvez alguma coisa localizada em um ponto ou outro. Mas é uma nova normalidade", declarou Starling.

Segundo o especialista, um balanço mais profundo será feito com o decorrer da semana, incluindo a correção de alguns pontos que, por ventura, tenham falhado. Questionado sobre qual tipo de equívoco não pode ocorrer no trato público durante a flexibilização, Starling pontuou a aglomeração popular.

"Grandes acúmulos de pessoas em determinados locais não é adequado. Me parece que isso não aconteceu. Tem que ser flexibilizado com cuidado", afirmou. 

Prefeitura relembra regras

Com o intuito de evitar aglomerações no comércio, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que agentes da Guarda Municipal têm realizado o monitoramento constante das lojas, com abordagens aos estabelecimentos para garantir o respeito às determinações dos decretos municipais, em todas as regiões da capital. Um balanço de autuações deste primeiro dia de flexibilização será divulgado, segundo a PBH, na manhã desta terça-feira.

Segundo a administração municipal, para garantir o cumprimento das novas determinações, todo o efetivo da Guarda, composto por 2.064 funcionários, está empenhado na atuação fiscalizatória nas ruas da capital, sempre dividido em turnos.

"As abordagens dos agentes da Guarda Municipal acontecem durante patrulhas preventivas rotineiras, feitas espontaneamente por toda a cidade, ou com base em denúncias, que podem ser feitas a qualquer momento pelo portal da Prefeitura, por meio da Ouvidoria. Caso o cidadão não tenha acesso a internet, a denúncia pode ser feita pelo telefone 156. Atendimento de segunda a sexta-feira, das 7h às 21h. Finais de semana e feriados das 7h às 20h", informou a PBH. 

A prefeitura ainda relembrou que a organização da fila, em frente às lojas, é de responsabilidade dos comerciantes. "Ressaltamos ainda que se os índices de contaminação aumentarem, a prefeitura pode optar por fechar novamente os estabelecimentos. A Subsecretaria de Fiscalização também esclarece que, nesta segunda-feira (25), foram realizadas ações de orientação junto aos estabelecimentos em relação ao decreto 17.361". O número de abordagens não foi divulgado.

BHTrans fiscaliza ônibus em BH

Um dos principais problemas encontrados pela reportagem de Hoje em Dia nesta segunda-feira foi a ausência de álcool em gel e de adesivos de indicação de distância segura entre passageiros no interior de alguns ônibus que circulam na capital mineira. Segundo a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), as concessionárias que operam as linhas em BH relataram dificuldades com fornecedores de álcool em gel.

Apesar disso, tanto o item de higiene quanto as sinalizações devem ser solucionados ao longo da semana. O cumprimento dessas necessidades será acompanhado por agentes da BHTrans. Quanto às marcações de distanciamento nas estações, a empresa informou que há um processo em andamento de manutenção das faixas.  

"As marcações nas estações já haviam sido feitas, sobretudo de espaçamento das filas de embarque, nos assentos e nas filas para os guichês. As marcações em todas as estações estão passando por manutenção e as que estiverem apagadas estão sendo refeitas", informou a BHTrans. Na Estação Diamante, no Barreiro, uma das mais movimentadas de BH, a manutenção das marcações foi feita nesta segunda. 

​​Já com o intuito de evitar lotação em pontos de embarque e desembarque e também dentro dos próprios coletivos, a BHTrans informou que as concessionárias que operam o transporte público municipal na cidade ampliaram o número de viagens neste primeiro dia de flexibilização. Além disso, foram disponibilizados veículos extras para suprir demandas em determinadas linhas. 

Outro método de prevenção à proliferação da Covid-19 está no uso de avisos sonoros e cartazes. Segundo a BHTrans, os agentes estão repassando orientações diversas por meio de avisos sonoros, em carros e com o uso de megafones. Entre as informações, estão a recomendação da distância segura nas filas; o número autorizado de passageiros em pé dentro dos veículos; e uso obrigatório de máscaras ou cobertura sobre o nariz e a boca nas estações e dentro dos ônibus.

Além disso, a empresa explicou que há cartazes informativos afixados em todas estações e que os agentes também abordam pessoas caso haja necessidade. Segundo a BHTrans, o cidadão pode registrar irregularidades no Portal da Prefeitura, na seção Fale Conosco, pela conta da BHTrans no Twitter e podem avaliar o Transporte Coletivo pelo PBH APP.