A Covid-19 atinge cada vez mais, e de forma grave, os jovens belo-horizontinos. Atualmente, a média de idade de quem luta pela vida nas UTIs, após contrair a doença, é de apenas 42 anos. O início da vacinação em idosos ajuda a explicar a mudança no perfil das internações. Porém, as mutações que tornam o vírus mais contagioso e até mesmo o descuido de parte das pessoas não podem ser ignorados.

Nos últimos dois meses, praticamente metade dos leitos de terapia intensiva exclusivos para o coronavírus foram ocupados por moradores da capital com menos de 59 anos. Das 8.763 internações 4.218 eram de adultos desta faixa etária. Os dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) são de 1° de março a 30 de abril.

“Nós temos óbitos de 23 anos. O número é realmente alarmante, principalmente entre os jovens, que, na maioria das vezes, ignoram e vão para baladas, festas, churrascos, e é isso que queremos evitar”, disse o prefeito Alexandre Kalil.

O alerta dele e do comitê de combate à pandemia em BH sobre o avanço da doença entre os mais jovens foi feito no mesmo dia em que a capital autorizou nova flexibilização do comércio da cidade. Agora, bares e restaurantes ficam abertos até 19h, mas não podem receber a clientela aos domingos. Feiras e clubes também receberam o aval (clique aqui e veja o que muda na metrópole).

Conforme a administração municipal, a mudança se deu graças às recentes quedas nos indicadores que monitoram a pandemia. Apesar do recuo, os dados ainda estão em patamares altos. Novo fechamento do município, caso a situação piore, foi amplamente informados pelas autoridades.

“A tendência de redução de números de internações continua, a velocidade da epidemia diminuiu, está abaixo de 1, mas é uma estabilização com tendência de queda ainda muito no alto”, reforçou o infectologista Carlos Starling, membro do comitê. 

Ontem, de acordo com a SMSA, o número médio de transmissão por infectado voltou a cair, alcançando 0,93 - na quarta-feira estava em 0,95. 

Outro indicativo de que a situação é de alerta máximo diz respeito à atual taxa de incidência da Covid-19 em BH. O índice que calcula a quantidade de infectados a cada 100 mil habitantes é 52,3% maior do que o primeiro pico da pandemia, em julho do ano passado. O número exato atual é de 426,5 e, em 2020, na primeira onda, 280.

Além disso:

A nova mudança na flexibilização do comércio em BH começa a valer a partir de amanhã. Assim, a tradicional Feira Hippie volta às ruas da avenida Afonso Pena nete domingo, Dia das Mães. Os estabelecimentos comerciais que não estavam autorizados a funcionar no domingo, como padarias e supermercados, também poderão abrir as portas. No caso dos bares e restaurantes o funcionamento com clientes e venda de bebida alcoólica, de segunda a sábado, será das 11h às 19h.

Leia também:
Estudo mostra que máscaras de algodão têm eficiência de 20% a 60%
Brasil tem 2.550 mortes por Covid em 24 horas; infectados no país ultrapassam a marca de 15 milhões
Instituto Raul Soares, em BH, abre vagas temporárias para médicos