Com 260 casos suspeitos de coronavírus e um confirmado, Minas Gerais se prepara para, a partir de hoje, agilizar o resultado do exame capaz de atestar a infecção no organismo. A expectativa é de que as notificações sejam analisadas em no máximo 72 horas. Apesar de ainda não existir tratamento específico para o novo vírus, especialistas afirmam que o diagnóstico rápido é essencial para a adoção de medidas preventivas e terapêuticas no que diz respeito a outras doenças que o paciente possa ter.

A metodologia – chamada de PCR em tempo real –, será colocada em prática hoje, pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), um dia após a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar pandemia do Covid-19. Até ontem, doentes foram registrados em pelo menos 120 países: eram mais de 121 mil infectados e 4.373 mortes.

No Brasil, o Ministério da Saúde confirmou 52 casos de coronavírus até o início da noite de ontem e informou que 907 aguardavam resultados de exames. Outros 935 pacientes tiveram a contaminação descartada.

“Com o decreto de pandemia não muda praticamente nada em relação ao combate. A OMS já estava em alerta máximo para a disseminação da doença, inclusive, passando orientações para os países acerca das medidas de prevenção e contenção”, frisa o médico sanitarista Alexandre Chieppe.

O especialista, que é diretor médico da Medlevensohn, distribuidora especializada em saúde, explica que a nova classificação da epidemia global vem do registro de transmissão local do vírus em várias nações. “E possibilidade de se alastrar para o resto do mundo”.

Ações
Para o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a OMS demorou a declarar pandemia de coronavírus. Após participar de uma audiência pública na Câmara dos Deputados, ontem, o titular da pasta afirmou que o decreto da entidade de saúde internacional não muda em nada as estratégias adotadas pelo governo federal.
No entanto, Mandetta não descarta novas ações, dependendo do comportamento da doença no território nacional. Do total de diagnósticos positivos, seis foram por transmissão local (doentes que não estiveram foram do país, mas contataram casos confirmado) e 46 referem-se a pessoas que viajaram ao exterior.

Minas
No Estado há apenas uma paciente com a doença. Trata-se da moradora de Divinópolis, na região Centro-Oeste, que chegou da Itália no último dia 2. 
Porém, conforme balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), o número de cidades mineiras onde há pessoas com suspeita de Covid-19 subiu 53%, passando de 30 na última sexta-feira para 46 ontem.

Com o crescimento das notificações, o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) em Minas, Ricardo Rodrigues, informou que os estabelecimentos estão sendo orientados a reforçar as medidas de prevenção, seguindo padrões de higiene na cozinha, no salão e escritório, além de se vacinarem contra a gripe comum. 

Além disso
Antes do exame PCR, o teste para coronavírus de pacientes mineiros era validado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Mas, na última segunda-feira, Minas recebeu kits de reagentes específicos para a realização de 250 testes do Covid-19, permitindo a agilidade no diagnóstico.
“A Funed já tinha os equipamentos para o exame, o laboratório adequado e técnicos aptos. O que precisávamos era dos kits com os reagentes. É um exame seguro e eficiente”, explica o chefe do Serviço de Virologia da Fundação Ezequiel Dias, Marcos Vinícius Ferreira da Silva.
Para a realização dos procedimentos, profissionais de saúde da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Centro- Sul, em Belo Horizonte, foram treinados na semana passada para a coleta das amostras. Na próxima segunda-feira, a capacitação será feita para servidores de Ibirité, na região metropolitana.