Agentes da Polícia Federal cumprem, na manhã desta quinta-feira (25), sete mandados de busca e apreensão em endereços de pessoas e empresas em Nova Lima, na Grande BH, além de cidades da Bahia e São Paulo, envolvidas com superfaturamento de dinheiro da indústria de energia. 

De acordo com a Polícia Federal, trata-se da segunda fase da operação "E o vento levou", que em abril deste ano focou na suspeita de desvio de recursos da Cemig por meio de aporte de R$ 850 milhões na empresa Renova Energia. 

Parte dessa quantia teria sido repassada, por meio de superfaturamento com a empresa Casa dos Ventos, a diversas outras empresas. Em seguida, ainda de acordo com a PF, o dinheiro teria sido convertido em espécie e distribuído a diversas pessoas.

A segunda fase da operação, deflagrada nesta quinta, busca o destino final do dinheiro. Ou seja, as pessoas que teriam recebido os valores. Até o momento, a investigação aponta para endereços em Salvador, Lauro de Freitas e Milagres, na Bahia, e em São Bernardo do Campo (SP), além de Nova Lima. 

A ação acontece em conjunto entre a PF, Receita Federal e do Ministério Público Federal. Os documentos de busca e apreensão foram expedidos pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo. 

"E o vento levou" faz parte da 5ª fase da "Descarte", operação que investiga empresas fantasmas usadas para lavagem de dinheiro e pagamento de propina.

Procurada, a Cemig informou que está em total colaboração com as autoridades e que também tem interesse na rápida evolução das investigações. Também declarou que manterá o mercado e a sociedade informados sobre a evolução do caso. Leia a nota na íntegra:

A Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig esclarece que, em relação às ações da Polícia Federal, no âmbito da segunda fase da operação “E O Vento Levou”, deflagradas na manhã desta quinta-feira (25/7), está em total colaboração com as autoridades e que também tem interesse na rápida evolução dessas investigações. A empresa reforça o seu compromisso com a transparência e que manterá o mercado e a sociedade informados sobre a evolução desses fatos ocorridos no passado.

A Renova Energia informou que trata-se de uma investigação, ainda em curso, relacionada ao período anterior a 2015, e que irá colaborar com todas as informações necessárias para auxiliar os trabalhos da Polícia Federal e do poder judiciário. "A Renova Energia afirma o seu compromisso com a transparência e que manterá todos informados sobre a evolução dos fatos", afirmou a empresa. 

A Casa dos Ventos não foi localizada.