É difícil acreditar que ainda tem gente que não está conectado à internet. Mas, pasmem: em Minas Gerais este contingente é de 6,5 milhões de pessoas. Os principais motivos apontados para não utilização da rede foram não dominar a tecnologia (43,4%) e falta de interesse (39%). Para 9,7% dos mineiros, o alto custo impede o acesso à web.

As informações são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad C), divulgada nesta quarta-feira (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento considera a população acima dos 10 anos e foi realizado em 2016.

Conforme o estudo, dos 18,5 milhões de mineiros acima dessa faixa etária, 64,5% acessam a internet no Estado. As mulheres dominam a rede. A proporção das conectadas foi maior que a de homens: 65,6% delas tinham acesso, enquanto, o índice para eles era de 63,4%.

Se comparado por faixa etária, os jovens lideram disparado. Entre a população de 20 a 24 anos, 89,9% utilizam a internet. Acima dos 60 anos, esse percentual cai para 21,4%. A Pnad C mostra, ainda, que o nível de instrução é outra característica que também influencia o uso da web. Quanto maior o nível de escolaridade, maior também é a presença on-line

Em Minas, 98% das pessoas com ensino superior incompleto utilizam a internet. Já entre aqueles que têm o ensino fundamental incompleto este índice cai para 37,1%. "O resultado mais elevado para as pessoas com nível superior incompleto refletiu o fato de este grupo deter uma alta parcela de estudantes e possuir uma estrutura etária mais jovem do que o grupo das pessoas com nível superior completo", avalia o estudo.

Apps lideram

Enviar ou receber mensagens de texto, voz ou imagens por aplicativos: este foi o motivo apontado por 93,4% dos conectados mineiros para utilização da internet. Assistir a vídeos, inclusive programas, séries e filmes, foi apontada por 77,6%. Na sequência aparecem conversar por chamadas de voz ou vídeo (71,2%) e enviar ou receber e-mail (68,2%).