Nada menos do que 467 focos de queimadas foram registrados só neste sábado (17) em Minas Gerais. A região Central do Estado é a mais atingida pelas chamas. Não bastasse o tempo seco e a escassez de chuva, a atual estrutura do Corpo de Bombeiros tem comprometido os trabalhos de combate aos incêndios.

Os dados de ocorrências são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e foram obtidos por meio de pesquisa em satélites do órgão feita pelo meteorologista Heriberto dos Anjos, do Centro de Climatologia da PUC Minas.

Uma das ocorrências que mais preocupa as autoridades é o incêndio no Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, em Belo Horizonte. Parte da unidade de conservação está em chamas há quatro dias. Mais de cem pessoas, entre militares do Corpo de Bombeiros e brigadistas, estão empenhados para debelar o fogo.

Não há dados da área consumida pelo fogo até o momento. Porém, desde o início do ano, pelo menos 60 incêndios foram registrados só no Rola-Moça. Quarenta e dois deles atingiram o interior da unidade e outros 18, o entorno.

O parque é o terceiro de Minas que mais sofre com as ocorrências, ficando atrás apenas da Área de Proteção Ambiental (APA) de Águas Vertentes, próxima a Diamantina, com 82 ocorrências, e da Serra do Cabral (83), que faz parte da Cordilheira do Espinhaço. A informação é do Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema).

Precariedade

Desde julho deste ano, o Hoje em Dia tem mostrado a precária estrutura do Corpo de Bombeiros. Nos pátios da corporação, viaturas estão quebradas à espera de manutenção. Além disso, a Taxa de Incêndio, principal fonte de recursos, não é completamente repassada.

Até o momento, o governo do Estado não apresentou solução de curto prazo para a fragilidade do Corpo de Bombeiros. Até setembro, R$ 8,5 milhões foram destinados à realização de obras, aquisições de veículos e equipamentos e R$ 31,5 milhões para atender as despesas de custeio do órgão.

De acordo com o Sisema, Minas tem nove aeronaves disponíveis para o combate a incêndios. O contrato faz parte das atividades previstas na força tarefa Previncêndio. Duas delas estavam sendo usadas, neste sábado, no Rola Moça. As demais estão envolvidas em ocorrências diversas pelo Estado. Não há previsão para a contratação de outras aeronaves até o momento.

Serra da Piedade

Segundo o Corpo de Bombeiros, várias ocorrências foram registradas na Serra da Piedade neste sábado (17). Uma equipe de Nova União está à frente dos trabalhos, mas não há dados de área atingida. Na Barragem Santa Lúcia também há ocorrência de incêndio, mas a corporação ainda não deu detalhes.