Mais dois casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), doença que acomete crianças e está associada à Covid-19, foram confirmados em Minas. Até esta terça-feira (1º), são 109 registros. Outras 43 notificações seguem em investigação. Os dados são do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Até o momento, 98 pacientes receberam alta e três crianças morreram em decorrência da síndrome. Os óbitos foram registrados em Juiz de Fora e Barra Longa, na Zona da Mata, e em Esmeraldas, na Grande BH.

Ao todo, 46 municípios registraram ao menos um caso da enfermidade. No Estado, a síndrome infantil foi registrada em crianças e adolescentes de até 14 anos. A maioria (55,4%) foi confirmada em pacientes menores de 5 anos.  

Meninos foram os mais afetados e aparecem em 66% dos casos. Além disso, das crianças que tiveram a síndrome, 91% apresentavam comorbidades.  

Registros

Belo Horizonte é a cidade com mais casos até o momento, com 36 registros. Contagem, na Grande BH, aparece na sequência, com oito. Montes Claros, no Norte de Minas, e Uberlândia, no Triângulo, têm cinco. 

Betim, também na região metropolitana, tem quatro confirmações. Sete Lagoas, na região Central, contabilizou três ocorrências da síndrome, enquanto Vespasiano, Juiz de Fora, Ipatinga e Nova Serrana, dois. Outras 33 cidades, como Governador Valadares, Santa Luzia e Teófilo Otoni, tiveram um doente. Veja a lista completa aqui.

Sintomas

Os pacientes diagnosticados com a SIM-P podem apresentar quadro de insuficiência respiratória de forma grave, além de doença renal e insuficiência cardíaca agudas. Os principais sintomas são febre, manchas vermelhas na pele, conjuntivite, edema nos pés e nas mãos.

Leia mais:

Covid-19 já matou 96 crianças e adolescentes em Minas
Com quase 6,8 mil mortes por Covid, maio é o 2° mês mais letal da pandemia em Minas