Minas Gerais registrou dois novos casos da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), doença rara que acomete crianças e está associada à Covid-19. Até o momento, 144 registros foram confirmados, conforme dados do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Outras 29 notificações são investigadas no território. Ao todo, três crianças morreram em decorrência da enfermidade. Os óbitos foram registrados em Juiz de Fora e Barra Longa, na Zona da Mata, e em Esmeraldas, na Grande BH.

Foram computados ao menos um caso em 48 municípios mineiros. A síndrome foi registrada em crianças e adolescentes de até 14 anos. A maioria (47,6%) foi confirmada em menores de 5 anos. Meninos foram os mais afetados e representam 61% dos doentes. Além disso, 82,31% não apresentavam comorbidades.  

Registros

A capital mineira é a cidade com mais casos até o momento: 47. Contagem, na Grande BH, aparece na sequência, com nove. Montes Claros, no Norte, tem seis casos. Já Ribeirão das Neves, Ipatinga e Uberlência, cinco.

Sete Lagoas e Betim aparecem com quatro registros, seguidas por Juiz de Fora e Paracatu (três ocorrências cada). Veja a lista completa aqui.

Sintomas

Os pacientes diagnosticados com a SIM-P podem apresentar quadro de insuficiência respiratória de forma grave, além de doença renal e insuficiência cardíaca agudas. Os principais sintomas são febre, manchas vermelhas na pele, conjuntivite, edema nos pés e nas mãos.

Leia mais:
Minas investiga 171 casos suspeitos de reinfecção pelo coronavírus
Variante Delta é mais transmissível, mas pode ser barrada com duas doses da vacina; assista ao vídeo

Pesquisa aponta que 90% da população não faze questão de escolher marca de vacina contra Covid