O Laboratório Central da Fundação Ezequiel Dias(Lacen/Funed), em Belo Horizonte, identificou a presença da nova variante do coronavírus P1 em seis pacientes vindos de Manaus para serem tratados em Uberaba, no Triângulo Mineiro. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nesta segunda-feira (15).

Por causa do colapso na rede de saúde do Amazonas, em 24 de janeiro, dezoito pacientes foram transferidos do estado para tratar a Covid-19 no Hospital Regional de Uberaba. Ao todo, 10 se curaram e voltaram para casa e outros oito morreram.

De acordo com a SES-MG, a P1 é derivada de uma das variantes predominantes no país, a B.1.1.28. "No entanto, a SES esclarece que não é possível afirmar que há circulação das novas variantes no estado". 

Para presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, Estevão Urbano, a possibilidade dessa variante já estar circulando em Minas é de quase 100%. "Muita gente também viaja, vai e volta para Manaus mesmo durante a pandemia, a negócios, por exemplo. Então a chance é muito grande. Eu diria que é quase inevitável estar circulando".

Ainda segundo Urbano, a nova variante é aparentemente mais transmissível e  pode ser mais agressiva.

Na semana passada, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, também alertou sobre a possibilidade dessa nova variante encontrada em Manaus ter se espalhado pelo território nacional . “Fizemos o alerta epidemiológico e passamos a ver que essa cepa já estava no país. Senhores, a cepa está no Brasil como um todo. Isso é dado epidemiológico. Não existe a possibilidade de se fazer uma redoma em Manaus e achar que se resolveu o problema”, disse o ministro.