O Secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, informou nesta sexta-feira (22), que Minas Gerais tem "plano robusto" para o retorno presencial das aulas no Estado. A declaração foi dada durante entrevista ao programa Chamada Geral, da rádio Itatiaia.

"Nós acreditamos que em 30 dias teremos um estudo bem robusto que possa levar ao direcionamento da sociedade como um todo. O que vamos fazer é dar um estudo técnico robusto. Foi isso que eu demandei. Isso é diferente de junho e de setembro [quando o retorno às aulas foi barrado pela Justiça após pedido de sindicato que representa os professores]. Já temos muitos dados científicos. Tem que ser tudo construído, tanto a Justiça quanto sindicatos e os que se relacionam com a educação a gente vai construir juntos", ressaltou.

Ainda durante entrevista, Amaral disse ainda estar preocupado com a saúde mental das crianças. "Em geral, elas tiveram um ganho de peso muito grande. Tem crianças até com tentativa de suicídio. A gente tem que levar essa visão como problema de saúde pública real". 

O secretário também informou que se reuniu com infectologistas e pediatras para debater o assunto. "Há demanda para retorno às aulas do ponto de vista da saúde das crianças". 

Vacina

Assim como em todo país, Minas começou a vacinação contra a Covid-19 e, preferencialmente, os imunizantes foram aplicados em profissionais da saúde, mas professores serão contemplados como grupos prioritários, provavelmente na terceira fase do Plano Nacional de Vacinação (PNV), do Ministério da Saúde.

Mais cedo, durante entrevista coletiva, Carlos Amaral disse que o Estado pode receber cerca de 680 mil doses de vacinas contra a Covid-19 até a próxima segunda-feira (25). 

"Ontem [quinta] houve a sinalização de mais 2 milhões de doses da [fabricante] AstraZeneca, da Índia, que devem chegar hoje [sexta] ao Brasil. Há outras 4,8 milhões do Butantan, já em processo de aprovação na Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]", declarou Amaral. Somando as previsões, devem ser recebidas cerca de 6,8 milhões de doses" afirmou o secretário.