Três cidades mineiras são alvos de duas operações da Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta-feira (29). Conforme a corporação, foram emitidos 29 mandados de busca e apreensão para nove municípios em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas. 

As operações desencadeadas em conjunto são a Silício e Macchiato. A primeira tem como foco um esquema de corrupção que, segundo as investigações, teria funcionado entre 2011 e 2016 e fraudado contratações de uma empresa pública federal.

A empresa, que fabrica circuitos e soluções em microeletrônica, fica em Porto Alegre (RS), uma das cidades onde estão sendo cumpridos os mandados. De acordo com a polícia, dos diretores foram afastados pela Justiça e R$ 100 milhões, bloqueados.

Segundo a PF, uma empresa do ramo de tecnologia se associou a um escritório de advocacia para lavar dinheiro obtido com a sonegação de tributos e pagar propina a servidores. Assim, a companhia privada teria obtido irregularmente um contrato com a empresa pública.

Já a Operação Macchiato tem como objetivo desmantelar uma organização que, de acordo com a polícia, atuou entre 2014 e 2016 na sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. Alguns dos investigados são alvos em ambas as operações. O grupo teria ainda desviado dinheiro de uma instituição financeira através de contratos falsos de prestação de serviços.

Investigação

De acordo com a PF, os mandados desta quinta no território mineiro são cumpridos em Belo Horizonte, Nova Lima, na Região Metropolitana, e Machado, no Sul de Minas.  

(*) Com Agência Brasil