Aulas presenciais em cidades que estão na Onda Vermelha, do Plano Minas Consciente, poderão ser retomadas. A medida teve parecer favorável do Centro de Operações de Emergência de Saúde (Coes-Minas) durante a reunião do Comitê Extraordinário da Covid-19 realizada nesta sexta-feira (25).

O retorno já tinha sido permitido, desde a última segunda-feira (21), em escolas de municípios localizados nas ondas Amarela e Verde, desde que as prefeituras não apresentassem nenhuma restrição. “Todo o processo de retomada das aulas presenciais em Minas Gerais está sendo feito de forma planejada, segura e gradual, respeitando os protocolos sanitários e os indicadores do plano Minas Consciente, que monitora os índices epidemiológicos no estado”, enfatiza o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti

Alguns indicadores contribuíram para essa decisão. Comparada com outras faixas etárias, a de 0 a 18 anos é uma das menos atingidas por casos de Covid-19 no Estado. Apenas 7,4% dos casos confirmados e 0,2% dos óbitos estão neste grupo. Ao longo da pandemia, apenas 2,7% das crianças e jovens necessitaram de internação e a letalidade é de 0,18%.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), também pesaram a redução de 13% nas solicitações gerais para internação nas últimas quatro semanas e a queda de 3% na taxa de incidência da doença nos últimos 14 dias. 

Somam-se a isso a cobertura vacinal entre os idosos, com diminuição de óbitos e internações de pessoas maiores de 60 anos, e a continuidade da imunização de professores.

Porém, o Coes não aprovou o retorno nas macrorregiões que se encontram na classificação de Cenário Epidemiológico e Assistencial Desfavorável. Estão neste estágio as macrorregiões Centro-Sul, Leste do Sul, Nordeste, Oeste e Sul.

A retomada também será suspensa caso o Estado volte para a Onda Roxa do plano.

Leia Mais:
Média móvel de mortes por Covid cai e de casos aumenta
Indicadores da pandemia caem em BH; transmissão da Covid chega a 0,93