Minas irá manter mil leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) construídos durante a pandemia da Covid-19, conforme informou o Secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, nesta quinta-feira (21). Cerca de 800 leitos serão destinados a pacientes adultos e os demais à ala pediátrica. A divisão dos leitos entre as cidades ainda será discutida pelos secretarios municipais.

O tema foi debatido com membros da União e do Congresso. Segundo o secretário, a possibilidade orçamentária pleiteada pelo governo de Minas garante que 7 mil leitos em todo o país sejam mantidos após a crise sanitária. “Fico muito feliz que, além das vacinas, esse é o maior legado que a gente pode deixar para depois da pandemia”, afirmou Baccheretti.

A proposta só será possível após o aumento da arrecadação tributária do Estado. De acordo com a Constituição Federal, há um valor mínimo que deve ser empregado dentro da saúde. Assim, o governo mineiro mantém a expectativa orçamentária e pretende dedicar o recurso a mais para a manutenção dos leitos.

Leia também:

Zema confirma pagamento do 13º salário dos servidores de forma integral em Minas antes do Natal
Pente-fino descobre 77 mil indícios de irregularidades em cadastros do auxílio emergencial de Minas