Minas Gerais já aplicou a primeira dose do imunizante contra a Covid-19 em 52,91% do público-alvo da primeira fase da campanha de vacinação, iniciada em janeiro deste ano no Estado. Já para a segunda dose, o índice atingiu 14,36% do grupo prioritário definido pelo Programa Nacional de Imunização.

Até esta terça-feira (16) e em quase um mês de campanha, 396.116 pessoas foram vacinadas contra o novo coronavírus nos 853 municípios mineiros. Desse grupo, 120.887 tomaram a segunda dose, conforme o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

A cobertura da primeira fase da campanha inclui profissionais de saúde, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência que estejam institucionalizadas e população indígena.

De acordo com os dados da SES-MG, a cada óbito por Covid-19, 172 pessoas estão sendo vacinadas. A partir de critérios epidemiológicos preconizados pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, a SES-MG busca uma cobertura vacinal de 90% em cada grupo, “suficiente para interromper o aumento da ocupação dos leitos Covid-19 devido ao agravamento da doença”, explicou a subsecretária de Vigilância em Saúde Janaína Passos. “É uma cobertura não apenas para Covid-19, mas para outras campanhas que fazemos no estado, como a da influenza”, disse.

O grupo com a cobertura mais alta da primeira dose, até hoje, foi das pessoas com deficiência com mais de 18 anos institucionalizadas, com 100% das doses aplicadas, seguido da  população indígena, com 82,11% e dos idosos acima de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência, com 54,11%. Já para os profissionais de saúde, a cobertura é de 52,27%.

Doses disponíveis

Segundo a SES-MG, o Estado recebeu do Ministério da Saúde todas as doses necessárias para a vacinação dos grupos citados, além dos idosos com mais de 90 anos, que começaram a ser imunizados na semana passada em Minas. Já para os trabalhadores em saúde, foram enviadas doses para atender, inicialmente, 73% dos profissionais. Com 1.171.180 vacinas recebidas, é possível imunizar aproximadamente 667 mil pessoas.

“É uma conta matemática. Do total de 1 milhão de doses, as 315.600 que chegaram no dia 7 de fevereiro são da CoronaVac para cobrir duas doses, ou seja, cerca de 157.800 pessoas que serão imunizadas na segunda etapa”, detalha Janaína Passos. Como o intervalo entre as doses da CoronaVac é de, no mínimo, 15 dias, o número total de vacinas recebidas precisa ser dividido por dois. 

Sobre as remessas anteriores para o grupo da fase um, a subsecretária explica que Minas Gerais recebeu 665.080 imunizantes da CoronaVac, com duas doses para 318.888 pessoas. Da AstraZeneca/Oxford foram 190.500 doses para o mesmo número de pessoas, sendo que segunda dose será enviada pelo Ministério da Saúde em tempo hábil, uma vez que o intervalo para aplicação deste imunizante é de 12 semanas.

Do total de 667 mil pessoas possíveis de serem imunizadas, já são 379.220 de doses aplicadas. 

Planejamento

No planejamento de distribuição da Secretaria e na definição dos grupos a serem vacinados, é preciso levar em conta que a segunda dose precisa ser do mesmo laboratório da primeira e o intervalo entre elas deve seguir as recomendações de cada fabricante.

Segundo a subsecretária, para os grupos recomendados, a SES-MG tem doses suficientes, inclusive para garantir a segunda dose da CoronaVac no prazo adequado para que não seja colocada em risco a eficácia da vacina.

“Quem recebeu a vacina não está completamente imunizado, não é um processo imediato. O organismo precisa fazer todo o processo de imunogenicidade, que é a capacidade da vacina de provocar uma resposta imune, o desenvolvimento de anticorpos, ativando o sistema de defesa contra o vírus”, observou.

No caso da AstraZeneca, é preciso intervalo de três meses para aplicação após a primeira dose. A CoronaVac, por sua vez, exige tempo de 15 dias. “A transmissão da doença continua, nós não estamos no momento de relaxar”, alertou. 

Números da Covid

Segundo o boletim, em 24 horas, Minas confirmou 3.049 casos da Covid-19, chegando a 811.742 infectados. No mesmo período, 16 óbitos foram contabilizados no Estado. Ao todo, já são 16.903 vítimas da doença desde o início da pandemia, em março do ano passado.

Os recuperados da enfermidade somam 737.190. Já os pacientes em observação, internados ou em isolamento social, são 57.649. 

* Com informações da Agência Minas

Leia mais:
Ribeirão das Neves, na Grande BH, começa a imunizar idosos com mais de 89 anos contra a Covid-19
Fiocruz confirma caso da variante brasileira do coronavírus no Rio
Minas já vacinou quase 400 mil pessoas contra a Covid-19; mais de 120 mil receberam a 2ª dose