Os moradores que já tiveram diagnóstico positivo para o novo coronavírus em Minas Gerais, mas que apresentam sintomas da doença após a recuperação, devem ser novamente testados. Até então, o exame não era recomendado.

Contudo, por causa das confirmações de reinfecção da Covid-19 em alguns lugares do mundo, o governo estadual mudou o protocolo e, agora, orienta que os profissionais de saúde façam coleta para investigar uma possível reinfecção. 

Nesta segunda-feira (7), a Secretaria Estadual de Saúde (SES) explicou que devem ser novamente testados todos que tiveram Covid-19 e apresentem quadro clínico suspeito em um período maior de 90 dias. Seguindo o novo protocolo, a SES deve ser notificada e as amostras coletadass enviadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed), que fará sequenciamento genético para verificar a presença de mutações. 

Até o momento, o território mineiro não tem casos confirmados de reinfecção. “Minas Gerais está acompanhando as pesquisas e conclusões sobre o novo coronavírus em todo o mundo. Em agosto, pesquisadores de Hong Kong confirmaram a primeira reinfecção no mundo. A partir disso, estamos atentos a qualquer suspeita e pedimos a atenção dos municípios para que casos suspeitos sejam testados e notificados”, ressalta o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral.

Infectologista da SES, Tânia Marcial explica que a maioria das pessoas infectadas tem imunidade por até três meses. "Por esse motivo, casos com ressurgimento de sintomas em menos de 90 dias após confirmação da doença, devem ter outras infecções descartadas”.

Isolamento maior

A SES também recomendou mudanças no tempo de isolamento social para pacientes graves e leves da doença. No novo protocolo, é indicado que aqueles com diagnóstico positivo com situação mais crítica façam isolamento pelo período de 20 dias após início dos sintomas ou após 10 dias, desde que 24 horas sem febre sem uso de medicamentos.

Para os casos leves, a recomendação é de que o isolamento seja feito por 10 dias após o início dos sintomas, desde que passem 24 horas sem febre e sem uso de medicamentos. Antes, eram esperadas 72 horas. As alterações seguem a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde (MS).

Reinfecção

O primeiro caso de reinfecção foi confirmado por pesquisadores chineses em um homem saudável com o segundo caso de Covid-19 diagnosticado quatro meses e meio depois do primeiro. O sequenciamento do genoma mostrou que as duas cepas do vírus são diferentes, o que comprova a reinfecção.

Leia mais:
Minas tem mais 1,2 mil novos casos e 14 mortes por Covid nas últimas 24 horas